Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 26º

Cicatriz denuncia grávida que tentou vender bebé no hospital em Espanha

Grávida apresentou um cartão de saúde que mostrava que tinha submetido a uma apendicectomia. No entanto, não tinha uma cicatriz.

Cicatriz denuncia grávida que tentou vender bebé no hospital em Espanha
Notícias ao Minuto

23:50 - 29/03/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Badajoz

A mulher de 28 anos que foi detida, na terça-feira, por tentar vender o filho recém-nascido por dois mil euros no hospital de Don Benito-Villanueva de la Serena, na cidade espanhola de Badajoz, foi denunciada pela falta de uma cicatriz de uma apendicectomia.

A grávida - que, segundo o jornal espanhol El Mundo, vivia na Roménia e viajou até Espanha para ter o bebé e o vender a um casal romeno residente em Badajoz - deu entrada no hospital com “dados que não coincidiam com os que apareciam no seu histórico clínico”, revelou a Polícia Nacional.

O El Mundo revela agora que as suspeitas dos funcionários começaram quando a jovem apresentou um cartão de saúde com um nome romeno, que não era o dela (mas sim o da mulher a quem iria vender o bebé). Segundo o documento, a mulher teria 43 anos, apesar de não o aparentar, contudo, os funcionários descartaram a suspeita porque poderia apenas tratar-se de “uma interpretação visual”.

Durante o parto levantou-se uma nova suspeita: a mulher não tinha a cicatriz de uma apendicectomia, que constava nos seus dados de saúde. Havia ainda registos de que teria tentado, sem sucesso, engravidar por inseminação artificial

O homem que estava com a grávida mostrou-se reticente em responder às questões dos médicos e o hospital decidiu chamar as autoridades. Aos agentes da Polícia Nacional, o suspeito - que dizia ser pai da criança - não respondeu de forma “coerente” o porquê de a alegada mulher não ter apresentado os documentos originais, apenas uma fotocópia do cartão, e recusou comentar a (falta da) cicatriz. 

Após alguma pressão, acabou por confessar o esquema: não era marido da grávida e tinha-lhe pagado dois mil euros para ficar com o bebé, que iria criar com a sua mulher (a quem o cartão de saúde pertencia).

Durante a operação na madrugada de terça-feira, foram detidas três pessoas – a mãe e o casal que iria comprar o bebé. Já de acordo com o El Mundo, um segundo homem, de 30 anos, foi detido mais tarde. Tratar-se-á do alegado pai do bebé, que viajou para a Roménia para trazer a jovem grávida para Espanha.

Leia Também: Mãe tenta vender recém-nascido por 2 mil euros em hospital de Badajoz

Recomendados para si

;
Campo obrigatório