Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 24º

Guiné-Bissau mais perto de ter Internet com recurso a cabo submarino

O vice-primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Soares Sambu, inaugurou hoje a infraestrutura por onde entrará a internet proveniente do cabo submarino internacional do consórcio ACE (Africa Coast to Europe), que liga a França a vários países africanos.

Guiné-Bissau mais perto de ter Internet com recurso a cabo submarino
Notícias ao Minuto

16:39 - 28/03/23 por Lusa

Mundo Guiné-Bissau

Concluídos os trabalhos da amarração ao cabo submarino, iniciados em março de 2017, Soares Sambu, que esteve na cerimónia em representação do Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, assinalou que a Guiné-Bissau inaugurou hoje "as bases para a maior obra de infraestrutura nacional de telecomunicações".

A amarração ao cabo submarino internacional acontece a partir da localidade de Suru, no nordeste da Guiné-Bissau, e vai dar à estação de energia elétrica de Antula, nos subúrbios de Bissau, numa distância de 30 quilómetros.

De acordo com o vice-primeiro-ministro guineense, para que o cabo submarino, do qual o país receberá internet de banda larga, possa entrar em funcionamento falta construir o chamado 'backbone' -- rede intermédia de transmissão de dados de telecomunicações.

Com aquela infraestrutura construída, Soares Sambu acredita que a Guiné-Bissau inaugura "um verdadeiro processo de transformação com base nas telecomunicações".

O ministro dos Transportes e Comunicações guineense, Aristides Ocante da Silva, defendeu que com a entrada em funcionamento da nova infraestrutura, após a construção da rede de distribuição interna de internet a ser fornecida pelo cabo submarino, "a Guiné-Bissau dará um passo decisivo para a economia digital e o próprio desenvolvimento" do país.

O projeto de amarração da Guiné-Bissau ao cabo submarino internacional da ACE foi financiado pelo Banco Mundial em 30 milhões de euros.

A representante da instituição na Guiné-Bissau, Anne-Lucie Lefebvre, afirmou que a infraestrutura hoje inaugurada permitirá ao país passar a ter maior conectividade de internet, ajudar a reduzir os custos daquele serviço no país, bem como alojar futuros equipamentos de telecomunicações.

O desafio agora, disse Lefebvre, é levar a internet de banda larga a todas as localidades da Guiné-Bissau e desta forma promover uma maior inclusão financeira da população.

O cabo submarino do consórcio ACE parte da França, atravessa todo o continente africano e é o primeiro a chegar a países como Guiné Equatorial, Guiné-Conacri, Guiné-Bissau, Gâmbia, Libéria, Mauritânia, São Tomé e Príncipe e Serra Leoa.

Leia Também: China afirma que "influência" da Guiné-Bissau aumenta diariamente

Recomendados para si

;
Campo obrigatório