Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 25º

Reino Unido aplica sanções ao Irão por violação dos direitos humanos

O Governo britânico anunciou hoje novas sanções financeiras contra autoridades iranianas, considerando-as responsáveis pela repressão de protestos no Irão nos quais já morreram mais de 500 pessoas.

Reino Unido aplica sanções ao Irão por violação dos direitos humanos
Notícias ao Minuto

18:03 - 20/03/23 por Lusa

Mundo Reino Unido

O Ministérios das Relações Exteriores britânico adiantou em comunicado que as sanções financeiras foram aplicadas a oficiais iranianos do Corpo da Guarda Revolucionária, incluindo dois comandantes acusados de graves violações dos direitos humanos.

"O IRGC (Corpo de Guarda Revolucionária), o ramo das Forças Armadas iranianas responsável pela segurança interna e externa, tem estado na vanguarda da repressão aos protestos no Irão nos quais mais de 500 pessoas foram mortas e dezenas de milhares presas", lê-se no comunicado.

O ministro James Cleverly adiantou que as sanções estão a ser aplicadas também contra cinco administradores que gerem os investimentos do IRGC, "responsáveis por injetar dinheiro na repressão brutal do regime".

O Ministério acrescentou que vai continuar a apoiar o povo iraniano nos seus pedidos para mudanças fundamentais no país.

Estas sanções surgem no seguimento de medidas tomadas contra líderes iranianos, tanto pelo Reino Unido, como pelos Estados Unidos e União Europeia, em resposta à repressão violenta no país dos protestos da população.

O regime iraniano está há vários meses a reprimir protestos que surgiram na sequência da morte de Mahsa Amini, uma jovem que estava sob custódia do IRGC, unidade encarregada de fazer cumprir o código da República Islâmica, nomeadamente no que respeita ao traje das mulheres, chamada de "polícia da moralidade".

O Conselho da Europa acrescentou hoje mais oito pessoas e o Conselho Supremo da Revolução Cultural às listas de sanções contra o Irão por violações dos direitos humanos nos últimos meses.

Em comunicado, o órgão decidiu incluir os órgãos judiciais responsáveis pelas decisões de execuções em "julgamentos injustos" e pela tortura a que os condenados têm estado sujeitos.

O Conselho Supremo da Revolução Cultural foi incluído nas sanções por "menorizar a liberdade das raparigas e mulheres ou propagar o ódio contra mulheres" através de vários projetos que promoveu, assim como a discriminação de minorias.

Também o Parlamento Europeu se pronunciou, apelando ao Conselho para que considere o IRGC como uma organização terrorista e que endureça as sanções contra o regime iraniano.

Leia Também: Ucrânia. Londres espera que Xi pressione Putin para acabar com a guerra

Recomendados para si

;
Campo obrigatório