Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2024
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 16º

Família tenta ajudar amiga da filha após morte dos pais. Era tudo mentira

Jovem escondia um segredo obscuro. Era, afinal, uma burlona. Caso aconteceu na Austrália.

Família tenta ajudar amiga da filha após morte dos pais. Era tudo mentira
Notícias ao Minuto

12:14 - 20/02/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Fraude

Uma família australiana, que tentou adotar a melhor amiga da filha adolescente, depois de os pais desta terem sido, supostamente, assassinados, descobriu que, afinal, esta estava a esconder um segredo obscuro.

Conta o The Mirror que Hope tinha apenas 15 anos quando conheceu Emily Sciberras, da mesma idade, numa escola de Perth, na Austrália, em 2011.

A jovem, natural da Rússia, era uma ginasta medalhada. Tinha milhares de 'gostos' na sua página profissional de Facebook e passava muito tempo em casa de Hope.

À amiga, Emily disse que os pais viviam separados e que tinha uma irmã gémea, Chloe, que vivia com a mãe em França. Por sua vez, o pai trabalhava para a Interpol e morava em Sydney, nos EUA.

No Natal, a família da adolescente russa decidiu juntar-se em França. Emily voou até lá e tudo parecia correr bem até que partilhou algo "chocante" nas redes sociais, como contou Hope no 'Con Girl' do serviço de streaming norte-americano Paramount+.

"Na publicação ela [Emily] contava que o pai tinha matado a mãe e a irmã e depois se suicidado. Ficamos chocados. Ela dizia que tinha encontrado os corpos. Ela tinha 15 anos. Eu e os meus pais só a queríamos ajudar", descreveu Hope.

Após a alegada tragédia, Emily disse à amiga que ia viver com um conhecido da família para a Florida, nos EUA, mas manteve o contacto e mostrou sempre interesse em regressar à Austrália. E a família de Hope fez tudo para isso acontecer.

"Os meus pais já tratavam Emily como uma filha e eu estava muito feliz por finalmente ter uma irmã, que era também a minha melhor amiga”, revelou Hope no mesmo documentário.

Só que, entretanto, quando regressou à Austrália, Emily começou a fazer afirmações suspeitas, como por exemplo, ter sido concebida através de um dador de esperma.

As coisas tornaram-se ainda mais estranhas depois de Emily se ter matriculado em outra escola e apresentado uma certidão de nascimento falsa.

Com esta 'gota de água', os pais de Emily tentaram falar com o juiz da Florida responsável pelo processo de adoção e percebem que era tudo falso. Emily não era Emily mas sim Samantha Azzopardi e não tinha 15 anos mas sim 23. Todo o seu passado e percurso familiar era "uma mentira elaborada".

Aos produtores do documentário, Hope admite que ficou "arrasada" quando descobriu que suposta amiga a tinha enganado. "Fiquei com muita raiva, senti-me traída. Quando tentamos fazer o melhor, ajudar as pessoas e levamos esta chapada, ficamos com o coração partido", declarou.

De acordo com o 'Con Girl', Samantha é uma golpista já conhecida das autoridades, que fez dezenas de vítimas em três continentes diferentes. A mulher, hoje com 34 anos, já utilizou, pelo menos, 75 identidades diferentes nas suas burlas.

Já se fez passar por escoteira, modelo e filha de agentes secretos e, recentemente, certa altura foi mesmo condenada, em França, a 17 meses de prisão, mas depois de cumprir 14 meses, em dezembro de 2022, foi libertada.

Leia Também: Quatro condenados por burlas no MB Way. Roubaram mais de 45 mil euros

Recomendados para si

;
Campo obrigatório