Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 21º

Sismo na Turquia. Chanceler alemão expressa condolências e "envia ajuda"

O chanceler alemão, Olaf Scholz, expressou condolências à Turquia após um terramoto que fez hoje mais de 2.300 mortos em território turco e sírio e ofereceu ajuda.

Sismo na Turquia. Chanceler alemão expressa condolências e "envia ajuda"
Notícias ao Minuto

16:03 - 06/02/23 por Lusa

Mundo Sismo na Turquia

"Com consternação, acompanhamos as notícias do terramoto na fronteira Turquia-Síria. O número de mortos está a aumentar constantemente", lamentou Scholz, acrescentando que "a Alemanha, naturalmente, enviará ajuda".

A ministra do Interior, Nancy Faeser, afirmou que todos os tipos de ajuda possíveis serão mobilizados e falou especificamente da criação de acampamentos provisórios e sistemas de processamento de água, sistemas elétricos de emergência à disposição da Turquia e que o envio de tendas e cobertores já está a ser preparado.

O tremor de terra, com uma magnitude entre os 7,7 e os 7,8 na escala aberta de Richter, ocorreu às 04:17 locais (01:17 em Lisboa), a 33 quilómetros da capital da província de Gaziantep, no sudeste da Turquia, na fronteira com a Síria, com origem a uma profundidade de 17,9 quilómetros, em que foram registadas várias réplicas.

A mais recente, de magnitude de 7,5 na escala de Richter, segundo o serviço geológico dos Estados Unidos, abalou o sudeste da Turquia, foi registada às 13:24 locais (10:24 em Lisboa), com epicentro a quatro quilómetros da cidade turca de Ekinozu.

A autoridade de gestão de desastres e emergências da Turquia divulgou que o sismo mais recente teve uma intensidade de 7,6 e epicentro no distrito de Elbistan, na província de Kahramanmaras.

A atividade sísmica tem sido constante desde que ocorreu o primeiro tremor de terra.

Os abalos foram sentidos também no Líbano e no Chipre, segundo correspondentes da agência noticiosa France-Presse (AFP).

A Turquia está situada numa das zonas sísmicas mais ativas do mundo.

Leia Também: Sismo na Turquia e Síria. Putin combina ajuda russa com Erdogan e Assad

Recomendados para si

;
Campo obrigatório