Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
20º
MIN 17º MÁX 24º

EUA chama embaixador do Sudão para falar contra libertação de condenado

O Governo norte-americano convocou o embaixador do Sudão em Washington para protestar contra a libertação de um homem condenado pelo assassinato, em 2008, de um funcionário da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

EUA chama embaixador do Sudão para falar contra libertação de condenado
Notícias ao Minuto

13:11 - 03/02/23 por Lusa

Mundo Sudão

De acordo com relatórios no portal de notícias sudanês Sudan Tribune, o condenado, Abdelrauf abu Zaid, foi libertado da prisão na segunda-feira, após quase 15 anos de prisão.

O homem foi condenado à morte juntamente com outros três pelo assassinato do norte-americano 

Leia Também: Condenado à morte por assassínio de diplomata norte-americano libertado

e do seu motorista, o sudanês Abdelrahman Abbas, e foi libertado após alegadamente ter sido paga uma indemnização à família.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Ned Price, salientou que Washington "condena veementemente" a decisão "unilateral" de libertar o condenado e apelou às autoridades sudanesas para que "utilizem todos os meios legais para inverter esta decisão e voltar a prender Abu Zaid".

"O acordo bilateral EUA-Sudão 2020 sobre ações judiciais não aborda a prisão e condenação de Abu Zaid", disse, antes de sublinhar que os Estados Unidos "continuarão a responsabilizar Abu Zaid pelo assassinato de John Granville e Abdelrahman Abbas".

Ned Price revelou também que o embaixador dos Estados Unidos no Sudão, John Godfrey, está em contacto com as autoridades sudanesas "ao mais alto nível" para abordar a situação. "Não vamos descansar", disse, durante o seu encontro diário com a imprensa.

O porta-voz adjunto do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Vedant Patel, disse na quarta-feira que Washington "procura clareza sobre a libertação" e lamentou a "falta de transparência no processo legal que levou à sua libertação".

Abu Zaid fez uma greve de fome há algumas semanas para denunciar as condições da sua prisão e alegou que tinha sofrido "tortura" às mãos dos guardas prisionais e alertou para o agravamento do seu estado de saúde.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório