Meteorologia

  • 06 FEVEREIRO 2023
Tempo
16º
MIN 6º MÁX 18º

"Unidos". Biden anuncia envio de tanques e diz que Putin estava errado

O líder do governo dos Estados Unidos (EUA) referiu que todos os aliados estão "comprometidos" e "unidos" em prol da Ucrânia, mas sublinhou que o envio de armamento e de veículos não são uma ameaça do Ocidente à Rússia.

"Unidos". Biden anuncia envio de tanques e diz que Putin estava errado
Notícias ao Minuto

18:27 - 25/01/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

O presidente dos EUA anunciou, esta quarta-feira, o envio de 31 tanques M1 Abrams para a Ucrânia, um passo já esperado pelo governo norte-americano.

Em declarações aos jornalistas na Casa Branca, em Washington, Joe Biden reforçou que este apoio à Ucrânia "não é uma ameaça" à Rússia - uma ideia que o Kremlin tem vindo a defender, no que diz respeito à intervenção do Ocidente neste conflito -, mas sim uma ajuda à Ucrânia. "É disso que se trata. Ajudar a Ucrânia a defender-se e a proteger o território. Não é uma ameaça ofensiva para a Rússia", reforçou.

Durante a conferência de imprensa, o responsável norte-americano congratulou a autorização dada, esta quarta-feira, por Berlim para o envio de 14 tanques Leopard.

"A Alemanha avançou", referiu, depois de explicar que também hoje tinha falado com vários governantes de países aliados de Kyiv, e que todos estes estavam unidos. Quanto à união, Biden deixou ainda uma mensagem - a de que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, estava errado quando disse que a guerra na Ucrânia ia acabar por separar quem apoia a Ucrânia. "Estava errado. Estamos todos unidos", notou.

"A Alemanha não me obrigou a mudar de ideias. Queríamos garantir que estávamos todos unidos"O líder norte-americano falou ainda sobre os 11 meses de guerra no país, que se assinalaram ontem. "Onze meses em que os ucranianos mostraram ao mundo e a Putin a sua coragem e determinação para viverem em liberdade", atirou.

Questionado no final da conferência sobre qual a razão para o anúncio do envio destes veículos ser feito agora, e se este tinha vindo na sequência do apoio de Berlim, Biden riu-se, e respondeu: "A Alemanha não me obrigou a mudar de ideias. Queríamos garantir que estávamos todos unidos", repetiu.

Já na altura em que anunciou o envio dos 31 veículos em questão, o líder garantiu que este se prendia com o "compromisso de muitos países em ajudar a Ucrânia a proteger a sua terra".

O conflito entre a Ucrânia e a Rússia começou com o objetivo, segundo Vladimir Putin, de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia. A operação foi condenada pela generalidade da comunidade internacional.

A ONU confirmou que cerca de sete mil civis morreram e mais de 11 mil ficaram feridos na guerra, sublinhando que os números reais serão muito superiores e só poderão ser conhecidos quando houver acesso a zonas cercadas ou sob intensos combates.

Leia Também: Ucrânia. TEDH considera admissíveis casos de Kyiv contra Rússia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório