Meteorologia

  • 24 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 24º

"Vergonha". Greta visita aldeia que será destruída para expansão de mina

A ativista sueca visitou a aldeia de Luetzerath, que será destruída para a expansão da mina de carvão aberta de Garzweiler.

Notícias ao Minuto

16:48 - 13/01/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Greta Thunberg

A polícia de intervenção alemã continuou, esta sexta-feira, a expulsar ativistas climáticos que se encontram na aldeia de Luetzerath, no oeste da Alemanha, que será demolida para a expansão de uma mina de carvão.

Os manifestantes permanecem escondidos em edifícios devolutos da aldeia e em casas de árvores, recusando-se a abandonar o espaço. Esta sexta-feira, a manifestação contou com a presença da ativista sueca Greta Thunberg, que visitou a pequena aldeia e a mina de carvão aberta de Garzweiler. 

A ativista, de 20 anos, juntou-se aos protestantes, com um cartaz onde se lia: “Mantenham-no no chão”, numa referência ao carvão. 

Citada pela imprensa internacional, Greta Thunberg apelou ao "empoderamento popular" contra governos e empresas para combater as alterações climáticas. Disse ainda que a decisão de destruir a aldeia era uma "vergonha" e um "escândalo" para a Alemanha.

"Quando governos e empresas trabalham juntos desta maneira para destruir o meio ambiente e colocar inúmeras pessoas em perigo, devemos contra-atacar. Queremos mostrar como é o poder do povo, como é a democracia", afirmou.

A Alemanha está mesmo a envergonhar-se a si própria neste momento", acrescentou.

Os ambientalistas consideram que demolir a vila para expandir a mina de carvão Garzweiler nas proximidades resultará em enormes quantidades de emissões de gases de efeito estufa. O governo e a empresa energética RWE argumentam que o carvão é necessário para garantir a segurança energética da Alemanha.

No entanto, um estudo do Instituto Alemão de Investigação Económica questiona a postura do governo, depois de ter sido divulgado que outros campos de carvão existentes poderiam ser usados, embora o custo para a RWE fosse maior.

Os ativistas climáticos argumentam ainda que a expansão de uma enorme mina de carvão a céu aberto vai contra os compromissos internacionais da Alemanha de reduzir as emissões de gases de efeito estufa que aquecem o planeta.

[Notícia atualizada às 17h20]

Leia Também: Ativistas que lutam contra expansão de mina começam a ser dispersados

Recomendados para si

;
Campo obrigatório