Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 14º

Macron abraçou e consolou jogadores no Qatar: "Campeão do embaraço"

As críticas à atuação de Macron sucederam-se, com acusações de "politizar o desporto" e usar o amor dos franceses ao futebol - especialmente num momento sensível como a perda de um campeonato do mundo de futebol - para um alegado favorecimento político.

Notícias ao Minuto

13:37 - 21/12/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Emmanuel Macron

Emmanuel Macron marcou presença, no passado domingo, no Qatar, onde assistiu à final do campeonato do mundo de futebol - que terminou com a derrota de França, frente à Argentina, nas grandes penalidades.

O presidente francês mostrou-se efusivo durante a partida - ficando até em 'mangas de camisa' - e, consumada a derrota, apressou-se a ir ao relvado abraçar e consolar os futebolistas. Agora, está a ser acusado de ter tido comportamentos constrangedores e oportunistas. 

Na BFMTV, o comentador Emmanuel Petit asseverou, em tom de ironia, que no final da partida, era possível pensar que Macron era o selecionador nacional, ao invés de Didier Deschamps. "Ele estava na tribuna, no campo, na entrega de medalhas, no vestiário. Pensei que fosse ele o treinador", acrescentou. 

Uma das imagens mais marcantes do momento mostrou o presidente francês a consolar Kylian Mbappé. Para Olivier Faure, o líder dos socialistas franceses, o episódio foi "inoportuno" e "totalmente ridículo", conta o Libération

Sobre a mesma situação, Sandrine Rousseau, 'número dois' dos Europe Ecologie Les Verts, fez uma publicação na rede social Twitter: "O constrangimento", denunciou. Por sua vez, Benjamin Lucas, do movimento político Génération.s, chamou a Emmanuel Macron o "campeão mundial do embaraço".

As críticas à atuação de Macron sucederam-se, com acusações de "politizar o desporto" e usar o amor dos franceses ao futebol - especialmente num momento sensível como a perda de um campeonato do mundo de futebol - para um alegado favorecimento político. 

De recordar que a Argentina conquistou pela terceira vez o Mundial de futebol, repetindo 1978 e 1986, ao vencer a França por 4-2 no desempate por grandes penalidades, após 3-3 nos 120 minutos, em Lusail, no Qatar.

Os sul-americanos marcaram os quatro penáltis no desempate, enquanto os franceses, que defendiam o título, falharam dois, por Coman e Tchouaméni, o primeiro detido por Emiliano Martínez.

No tempo regulamentar, Lionel Messi, aos 23 e 108 minutos, o primeiro de penálti, e Ángel Di Maria, aos 36, marcaram para os sul-americanos, enquanto Kylian Mbappé somou um 'hat-trick' para os franceses, aos 80, 81 e 118, o primeiro e o último de grande penalidade.

Leia Também: As emoções de Macron durante o jogo Argentina-França. Veja as imagens

Recomendados para si

;
Campo obrigatório