Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2023
Tempo
MIN 4º MÁX 11º

N.º de mortos em Kurakhov sobe para 10. Quatro polícias mortos em Kherson

Chefe de Estado ucraniano fez ponto de situação do conflito.

N.º de mortos em Kurakhov sobe para 10. Quatro polícias mortos em Kherson
Notícias ao Minuto

22:13 - 07/12/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

Subiu para dez o número de mortos na sequência de um bombardeamento russo, esta quarta-feira, na cidade de Kurakhov, na região ucraniana de Donetsk, de acordo com a informação avançada pelo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. O último balanço apontava para oito mortos e vários feridos.

"Na região de Donetsk - hoje o exército russo realizou um ataque altamente brutal e absolutamente deliberado em Kurakhov. Precisamente sobre civis. Sobre pessoas comuns. No mercado, no ascensor, no posto de gasolina, na paragem de autocarros, num prédio residencial. A lista de mortos até agora inclui dez pessoas, há muitos feridos", adiantou o chefe de Estado ucraniano, no seu habitual discurso diário, apresentado as suas "condolências" aos parentes e amigos das vítimas.

Segundo Zelensky, na região de Kherson, por sua vez, quatro polícias morreram, devido a minas russas, "durante trabalhos de estabilização", e outros quatro estão, neste momento, a lutar pela vida.

"As forças policiais, juntamente com todas as forças de Defesa do nosso Estado, estão agora na linha de frente. E com todos eles protegem os ucranianos, e com todos eles sofrem perdas... Os meus pêsames", notou.

De acordo com o presidente da Ucrânia, o distrito de Bakhmut continua a ser um dos "pontos mais quentes" do conflito e o setor da energia permanece no centro da agenda da presidência, bem como do governo, face aos ataques russos contra infraestruturas essenciais.

"É impossível restaurar 100% do sistema energético para como era antes do início do terror energético russo. Precisamos de tempo", disse, apontando que, é por isso, que a energia continua a ser desligada na maior parte das cidades e distritos. 

"A partir desta noite, o maior número de paralisações está em Kyiv [cidade] e região, na região de Lviv, na região de Zhytomyr, na região de Khmelnytskyi, na região de Poltava, e na região de Vinnytsia e Zakarpattia", informou.

"Agradeço a todos os nossos trabalhadores do setor da energia, reparadores, empresas, trabalhadores de serviços públicos e autoridades locais que estão a fazer de tudo o que podem para tornar as coisas mais fáceis para as pessoas", rematou.

Leia Também: AO MINUTO: Nono pacote de sanções da UE a caminho; "Máscaras caíram"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório