Meteorologia

  • 01 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Vitória democrata na Geórgia domina Senado e derrota Trump

A eleição do reverendo Raphael Warnock como senador pela Geórgia foi a mais recente 'derrota' do ex-presidente Donald Trum, com o fracasso do candidato que apoiou e garantiu um controlo mais firme do Partido Democrata no senado.

Vitória democrata na Geórgia domina Senado e derrota Trump

O senador democrata Raphael Warnock derrotou Herschel Walker, do Partido Republicano, na segunda volta das eleições intercalares na Geórgia, na terça-feira, garantindo ao seu partido uma maioria absoluta no Senado pelo resto do mandato atual do Presidente, Joe Biden, e encerrando um ciclo eleitoral abaixo do esperado para os republicanos no última grande votação do ano.

Com esta vitória, Warnock tornou-se o primeiro senador negro da Geórgia a conseguir um mandato completo de seis anos e um lugar entre as figuras em ascensão dos democratas.

Mas nem só Herschel Walker, uma ex-estrela de futebol americano perseguida por escândalos e gafes, saiu derrotado desta noite eleitoral. Também o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, viu mais um dos candidatos que escolheu e apoiou a falhar a eleição, três semanas após ter anunciado a sua recandidatura em 2024.

Nas eleições intercalares do mês passado, os candidatos favoritos de Trump perderam ou tiveram um desempenho inferior face aos republicanos mais tradicionalistas em todo o país.

Apesar de manter uma base fervorosa dentro do Partido Republicano, especialmente na ala mais extremista, Donald Trump vê agora as suas pretensões à Casa Branca serem vistas com alguma indiferença, ou até com duras críticas, por algumas figuras de relevo do seu partido.

Com um perfil controverso, Herschel Walker acumulou escândalos pessoais e gafes na sua campanha para as intercalares, suscitando críticas por se ter posicionado firmemente contra o aborto, apesar de duas ex-namoradas o acusarem de financiar as suas interrupções de gravidez. 

Por outro lado, Raphael Warnock, apoiado pelo ex-presidente Barack Obama e um pastor da igreja de Martin Luther King Jr., foi o primeiro senador afro-americano da Geórgia e conseguiu na noite de terça-feira mais um importante lugar para os democratas na câmara alta do Congresso.

"Eu sou a Geórgia. Eu sou um exemplo e uma iteração da sua história. Da sua dor e da sua promessa. Da brutalidade e da possibilidade", disse Warnock no seu discurso de vitória, evocando características do passado e do presente do seu estado, localizado no sul e marcado pela história de escravatura, segregação e injustiça racial.

"Depois de uma campanha árdua -- ou, devo dizer, campanhas -- é minha honra pronunciar as palavras mais poderosas já ditas numa democracia: o povo falou", disse Warnock a apoiantes eufóricos em Atlanta.

Nascido no seio de uma família pobre e o segundo mais novo de 12 filhos, Raphael Warnock cresceu em Savannah, no projeto habitacional público Kayton Homes. A sua mãe, quando adolescente, trabalhou como meeira colhendo algodão e tabaco. O seu pai ganhava dinheiro transportando carros velhos para uma sucata local.

Incentivado pelos seus pais a trabalhar duro, Warnock deixou Savannah e tornou-se o primeiro membro da família a ir para a faculdade, ajudado por bolsas e empréstimos estudantis com juros baixos. 

"Apenas na América a minha história é possível", disse Warnock antes de ser eleito.

Em dois anos, esta foi a quarta campanha de Raphael Warnock, que concorreu pela primeira vez em 2020 contra o senador republicano Kelly Loeffler para concluir o mandato do ex-senador Johnny Isakson. Essa corrida foi a uma segunda volta em janeiro de 2021, da qual o democrata saiu vencedor.

Com a segunda vitória de Warnock numa segunda volta, os democratas terão uma maioria de 51 lugares no Senado contra 49 dos republicanos. Contudo, haverá um Governo dividido, com os republicanos a conseguirem um controlo renhido da Câmara dos Representantes.

O sucesso de Warnock foi festejado por Joe Biden, que indicou que os eleitores da Geórgia "defenderam a Democracia" norte-americana.

"Acabei de ligar ao senador Warnock para o felicitar pela vitória. Esta noite, os eleitores da Geórgia defenderam a nossa democracia, rejeitaram o 'Ultra MAGAismo' [referência ao movimento 'Make America Great Again' ou Tornar a América Grande de Novo de Donadl Trump] e, o mais importante: enviaram um bom homem de volta ao Senado. Aqui estão mais seis anos", escreveu Biden na rede social Twitter.

"Os eleitores da Geórgia disseram que queriam um senador que lutasse por eles - e tornaram isso realidade quando foram reelegeram o reverendo Warnock para o Senado dos EUA. Parabéns meu amigo", escreveu por sua vez a vice-presidente, Kamala Harris.

Leia Também: Líder republicano no Senado dos EUA critica Trump sobre Constituição

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório