Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 25º

NATO pede aos líderes sérvio e kosovar que evitem escalada de tensões

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, exortou hoje o Presidente da Sérvia, Aleksander Vucic, e o primeiro-ministro de Kosovo, Albin Kurti, a evitarem qualquer "ação unilateral" que possa escalar as tensões no norte do Kosovo.

NATO pede aos líderes sérvio e kosovar que evitem escalada de tensões
Notícias ao Minuto

22:35 - 07/11/22 por Lusa

Mundo Kosovo

A implementação de uma lei para mudar as matrículas sérvias para kosovares, numa área de maioria sérvia, está a ameaçar gerar um conflito naquela região do Kosovo.

"Falei com Vucic e Kurti sobre a tensa situação no norte do Kosovo. Pedi a ambos que evitem qualquer ação unilateral que possa causar uma escalada. O diálogo é a única saída", sublinhou o líder da Aliança Atlântica numa publicação nas suas redes sociais, citado pela agência Europa Press.

Stoltenberg sublinhou que a missão da NATO no Kosovo (KFOR) continua "vigilante", na sequência das declarações do subsecretário-geral da NATO, Mircea Geoana, que no domingo assegurou que esta força está "vigilante e pronta a intervir", se a estabilidade no país for ameaçada.

Também no domingo decorreu uma manifestação em Mitrovica, a cidade mais importante do norte do Kosovo, de maioria sérvia, onde foram exibidas faixas contra Kurti.

O protesto ocorre depois de sérvios kosovares terem renunciado em bloco aos seus cargos de deputados, autarcas e funcionários de diversas áreas, por estarem contra a imposição de matrículas kosovares no norte do território.

A lei prevista para o verão já gerou uma reação violenta da comunidade sérvia e um período de transição foi acordado.

Pristina anunciou agora uma implementação progressiva da medida até 21 de abril, após adiar a sua introdução inicialmente prevista para 01 de novembro.

O abandono das instituições ocorreu pouco depois de Pristina ter destituído o diretor da polícia no norte do Kosovo, de origem sérvia, que se recusou a emitir a ordem sobre as matrículas dos veículos.

Para os sérvios do Kosovo, a medida viola os direitos alcançados pela minoria.

Por outro lado, a União Europeia (UE) apelou ao diálogo entre as partes, criticando a saída dos sérvios kosovares das instituições do Kosovo, assegurando que "não é a solução para as disputas atuais e pode causar uma escalada de tensão".

O bloco comunitário também pediu a Pristina que "respeite as suas próprias obrigações sem procrastinação", estendendo o prazo para a implementação de matrículas kosovares e suspendendo as sanções para quem usa matrículas sérvias.

Outro dos pontos em que a diplomacia europeia incide é que o Kosovo avance na criação da Associação de Municípios Sérvios, "uma obrigação legal vinculativa para o Kosovo", conforme assinado com Belgrado no diálogo promovido pela UE.

O ministro sérvio dos Negócios Estrangeiros, Ivica Davic, pediu hoje à UE e Estados Unidos para influenciarem o Kosovo a cumprir os acordos que resultaram de dez anos de contactos.

Davic pediu em concreto o cumprimento das condições necessárias para fazerem regressar os sérvios do Kosovo às instituições de Pristina, na sequência das recentes demissões.

Belgrado pede também que Kurt retire o que considera a ameaça dirigida aos sérvios do Kosovo para que mudem as matrículas dos automóveis emitidas na Sérvia e que passem a usar as matrículas oficiais de Pristina.

Leia Também: NATO alerta que Força do Kosovo está "vigilante e pronta para intervir"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório