Meteorologia

  • 25 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 19º

Eleições gerais antecipadas na Malásia marcadas para 19 de novembro

A Comissão Eleitoral da Malásia marcou hoje as eleições gerais antecipadas para 19 de novembro, após o governo ter dissolvido o parlamento para tentar resolver uma disputa que divide a coligação no poder.

Eleições gerais antecipadas na Malásia marcadas para 19 de novembro
Notícias ao Minuto

07:15 - 20/10/22 por Lusa

Mundo Malásia

Tanto a oposição como os aliados da Organização Nacional dos Malaios Unidos (UMNO, na sigla em inglês), o maior partido da coligação governamental, tinham já demonstrado receio de que realizar uma votação durante a estação das monções poderia aumentar a abstenção entre os quase 21,2 milhões eleitores.

No ano passado, a época das monções matou mais de 50 pessoas e desalojou milhares na Malásia, país que teve três governos em quatro anos.

O presidente da Comissão Eleitoral, Abdul Ghani Salleh, disse que a data de nomeação dos candidatos seria 05 de novembro, dando início a duas semanas de campanha oficial.

Três dos 13 estados do país irão realizar eleições locais também em 19 de novembro, acrescentou.

Seis estados controlados pela oposição e partidos aliados do UMNO preferiram esperar até 2023. Quatro dos 13 estados do país já realizaram votações este ano.

O primeiro-ministro da Malásia, Ismail Sabri Yaakob, dissolveu o parlamento em 10 de outubro, abrindo caminho para eleições gerais, a pedido do partido que o apoia, o UMNO.

O partido está em disputa com os seus aliados e com as eleições antecipadas pretende uma grande vitória, aproveitando o apoio dos eleitores de etnia malaia e a desordem na oposição.

O primeiro-ministro malaio declarou que decidiu convocar eleições antecipadas para rebater as críticas à legitimidade do seu Governo -- o terceiro desde as eleições de 2018.

O UMNO liderava a Malásia desde a sua independência do Reino Unido em 1957, mas foi retirado do poder nas eleições de 2018 devido a um escândalo financeiro multimilionário que levou o ex-primeiro-ministro Najib Razak a ser condenado a 12 anos de prisão por corrupção.

O atual presidente do partido, Ahmad Zahid Hamidi, também está a ser julgado por corrupção.

O UMNO voltou ao poder em março de 2020 como integrante de uma coligação do governo, principalmente muçulmano, depois de a aliança reformista liderada pelo ex-primeiro-ministro Mahathir Mohamad ter entrado em colapso por ter perdido os apoios.

O novo governo formado em 2020 era instável devido ao reduzido apoio no parlamento e o então primeiro-ministro, Muhyiddin Yassin, foi forçado a renunciar ao cargo 17 meses depois.

Ismail, que era vice de Muhyiddin, foi nomeado pelo rei em agosto de 2021 para assumir o Governo, devolvendo o cargo de primeiro-ministro à UMNO.

Entretanto, o UMNO permaneceu em desacordo com o partido Bersatu, de Muhyiddin, e outro aliado islâmico, que disputam o apoio de muçulmanos de etnia malaia, que representam mais de 60% dos 33 milhões de habitantes da Malásia.

Leia Também: Primeiro-ministro da Malásia dissolve Parlamento e convoca eleições

Recomendados para si

;
Campo obrigatório