Meteorologia

  • 31 JANEIRO 2023
Tempo
12º
MIN 4º MÁX 14º

PE condena referendos ilegais russos e apela a reforço de sanções

O Parlamento Europeu (PE) condenou hoje os referendos fraudulentos que resultaram na anexação pela Rússia de quatro províncias da Ucrânia e pediu à União Europeia (UE) que reforce as sanções a Moscovo.

PE condena referendos ilegais russos e apela a reforço de sanções
Notícias ao Minuto

13:09 - 06/10/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

O voto está numa resolução - que classifica os referendos para a anexação ilegal das regiões de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson como "nulos e vazios" -- que foi adotada por 504 votos a favor, 26 contras e 36 abstenções, na sessão plenária do PE.

Os eurodeputados apelaram ainda ao reforço do auxílio à Ucrânia, nomeadamente militar.

Na sequência das explosões no gasoduto Nord Stream, o PE salienta que estas revelam o perigo da dependência energética de combustíveis fósseis russos e apela ao reforço da proteção de infraestruturas críticas para a União Europeia (UE).

As resoluções do PE não têm caráter vinculativo.

O Conselho da UE aprovou hoje formalmente o oitavo pacote de sanções à Rússia pela invasão da Ucrânia e que entra em vigor assim que for publicado no Jornal Oficial, o que acontecerá "em breve", segundo um comunicado.

O pacote formalmente acordado "introduz na legislação da UE a base para estabelecer um limite de preços relacionado com o transporte marítimo de petróleo russo para países terceiros e mais restrições ao transporte marítimo de petróleo bruto e produtos petrolíferos para países terceiros", de acordo com um comunicado de imprensa do Conselho.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,5 milhões para os países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.114 civis mortos e 9.132 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Leia Também: Rússia arrisca-se "a perder [a guerra] de forma de forma humilhante"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório