Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 14º

Guerra na Ucrânia? Meloni telefona a Zelensky a dar o seu "total apoio"

A líder do partido de extrema-direita Irmãos de Itália, vencedora das eleições legislativas, Giorgia Meloni, transmitiu hoje o seu "total apoio" ao presidente da Ucrânia, Volodymir Zelenski, durante uma conversa telefónica.

Guerra na Ucrânia? Meloni telefona a Zelensky a dar o seu "total apoio"
Notícias ao Minuto

23:40 - 04/10/22 por Lusa

Mundo Itália

Meloni, provável próxima primeira-ministra de Itália, confirmou o "total apoio à causa da liberdade do povo ucraniano" e rejeitou a anexação por parte da Rússia de quatro regiões, alegando que a decisão não tem "nenhum valor jurídico ou político", afirmou num comunicado.

Giorgia Meloni comprometeu-se também com Zelensky a encetar "todos os esforços diplomáticos úteis para pôr fim ao conflito".

O presidente ucraniano, como tinha feito anteriormente no Twitter, felicitou Meloni pela sua vitória nas eleições gerais, convidou-a a visitar Kyiv e expressou o seu desejo de "poder contar com uma colaboração frutuosa do próximo Governo italiano".

Meloni ganhou as eleições em 25 de setembro com 26% dos votos e, uma vez constituído o novo parlamento, espera-se que o Chefe de Estado, Sergio Matterella, lhe atribua a tarefa de formar Governo.

Caso se confirme, Meloni será a primeira mulher a governar a Itália, em coligação com o conservador Silvio Berlusconi e o representante da extrema-direita Matteo Salvini, este último um admirador do Presidente russo, Vladimir Putin, e frequentemente crítico das decisões de armar a resistência ucraniana.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,5 milhões para os países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.114 civis mortos e 9.132 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Leia Também: Preços da energia? Meloni garante apoio de Itália a esforços da UE

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório