Meteorologia

  • 02 FEVEREIRO 2023
Tempo
12º
MIN 5º MÁX 13º

Reino Unido prolonga envio de sistema de defesa antimísseis para Kyiv

O governo britânico anunciou hoje a intenção de prolongar o envio do sistema de defesa antimísseis "Sky Sabre" para a Polónia, no contexto da invasão russa da Ucrânia.

Reino Unido prolonga envio de sistema de defesa antimísseis para Kyiv

A medida foi confirmada pelo ministro da Defesa britânico, Ben Wallace, durante uma visita à cidade polaca de Zamosc para inspecionar uma unidade militar polaca, indicou a televisão pública TVP.

"Decidimos prolongar o envio dos nossos sistemas antiaéreos de médio alcance para garantirmos que a Polónia está fora de perigo enquanto ajuda a Ucrânia", assegurou Wallace, sem especificar durante quanto tempo se manterá a decisão.

Em julho, o ministro da Defesa polaco, Mariusz Blaszczak, anunciou que o Reino Unido ira deslocar para o seu país este sistema. Londres mantém um contingente militar na Polónia, no âmbito das forças da NATO, e que inclui 700 efetivos.

O Exército britânico incorporou o novo sistema antiaéreo Sky Sabre em finais de 2021 para substituir os mísseis Rapier, utilizados desde a década de 1970.

Ainda hoje, o Presidente da Polónia, Andrzej Duda, exortou os países da NATO a aumentarem a produção de armamento para a sua entrega final à Ucrânia. "Precisam de mais armas que nunca, e se as enviarmos ainda é pouco. Deve aumentar-se a sua produção nos dois lados do Atlântico", disse Duda no decurso do Fórum de Segurança de Varsóvia.

"De momento não produzimos armamento suficiente para ajudar a Ucrânia, e, em simultâneo, para enfrentar as ameaças provenientes da Rússia", acrescentou.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,4 milhões para os países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Leia Também: EUA vendem defesa antimíssil de 5.000 milhões à Arábia Saudita e EAU

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório