Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Conservadores do GERB apontados como vencedores das eleições na Bulgária

O partido de centro-direita GERB, do ex-primeiro-ministro Boyko Borisov, é apontado como o provável vencedor das eleições antecipadas na Bulgária, segundo sondagens divulgadas após o encerramento das urnas.

Conservadores do GERB apontados como vencedores das eleições na Bulgária

Borisov, que dominou a política búlgara entre 2009 e 2021, conquista cerca de 25,5% dos votos, enquanto o primeiro-ministro Kiril Petkov e o seu partido reformista pró-ocidental "Continuamos a Mudança" surge em segundo lugar, com 18,4% a 19,9% dos votos.

As sondagens preveem que sete partidos irão entrar no parlamento e antecipam dificuldades na formação de maiorias estáveis devido à grande divisão partidária.

A participação nestas eleições, as quartas em menos de um ano e meio, foi particularmente baixa, com menos de 40% dos cerca de 6,6 milhões de eleitores a irem às urnas.

Atrás dos dois maiores partidos, com entre 12,6 e 14,4 por cento, surge o partido minoritário turco DPS, aliado de Borisov e, segundo os seus críticos, corresponsável pela corrupção endémica que o país sofreu durante anos.

O partido socialista BSP, herdeiro do partido comunista e com posições abertamente pró-russas sobre a guerra na Ucrânia, é a quarta força, com entre 10,2 e 11,2 por cento.

Um pouco inferior é o apoio recebido pela formação ultranacionalista "Renascimento", também pró-russa e defensora da saída da Bulgária da União Europeia (UE) e da NATO, com 10 % dos votos.

Também no parlamento de 240 lugares deverá entrar a aliança pró-europeia "Bulgária Democrática", com entre 7,9 e 9,0 por cento de votos.

O sétimo partido da Câmara será provavelmente a força populista "Existe um Povo assim" (ITN) do comediante Slavi Trifonov.

Os resultados oficiais podem levar dias a serem anunciados e se se confirmarem os dados das sondagens, Borisov receberá mandato para formar o seu quarto Governo, devendo, no entanto, enfrentar dificuldades para formar uma coligação governamental estável, uma vez que a maioria dos partidos políticos rejeitaram antecipadamente qualquer acordo com o GERB.

As eleições antecipadas seguem-se ao derrube do governo pró-ocidental "Continuamos a Mudança", de Kiril Petkov, em junho, que perdeu uma moção de censura no parlamento, apenas seis meses depois de tomar posse.

A iniciativa da moção de censura partiu do partido "Cidadãos pelo Desenvolvimento Europeu da Bulgária" (GERB, direita conservadora), de Borissov, que esteve anteriormente uma década no poder.

Com cerca de sete milhões de habitantes, o país eslavo dos Balcãs, de religião ortodoxa e tradicionalmente próximo de Moscovo, foi às urnas dividido em relação à guerra na Ucrânia, que a Rússia iniciou em 24 de fevereiro deste ano.

O governo de Petkov recusou pagar a Moscovo os fornecimentos de gás na moeda russa, o rublo, e expulsou da Bulgária 70 funcionários diplomáticos russos.

O governo interino entretanto nomeado adotou uma abordagem mais suave em relação à Rússia

Membro da NATO desde 2004, e da UE desde 2007, a Bulgária tinha o Produto Interno Bruto (PIB) 'per capita' mais baixo da UE em 2021.

Leia Também: Dois novos gasodutos na Europa para aumentar independência energética

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório