Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2022
Tempo
14º
MIN 8º MÁX 16º

Vladimir Putin concede cidadania russa a Edward Snowden

O presidente da Rússia concede, esta segunda-feira, a cidadania a Edward Snowden, depois de já lhe ter concedido asilo, avança a Reuters.

Vladimir Putin concede cidadania russa a Edward Snowden
Notícias ao Minuto

17:47 - 26/09/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia/Rússia

A cidadania russa é dada ao denunciante nove anos depois de este ter exposto informações da Agência Nacional de Segurança (NSA), onde trabalhava na altura. As autoridades norte-americanas lutam há anos para que o ex-analista seja extraditado para o país, por forma a ser julgado por espionagem.

O cidadão norte-americano - e agora russo - ainda não reagiu a esta informação, que a Reuters avança depois de ter tido acesso a uma lista com 72 estrangeiros a quem a cidadania foi dada.

Já em 2020, a Rússia garantiu a Snowden a autorização de residência permanente, que facilita o acesso à cidadania russa.

Putin tomou a decisão com base no ponto A do artigo 89º da Constituição russa, que estipula que o chefe de Estado pode conceder a cidadania e o asilo político.

Snowden, que solicitou a cidadania em 2 de novembro de 2020, não emitiu nenhum comentário sobre a campanha militar russa na Ucrânia, desencadeada em fevereiro passado.

E agora que é um cidadão russo? Snowden 'foge' da cadeia nos EUA para a guerra na Ucrânia?

O seu advogado, Anatoli Kucherena, negou, esta segunda-feira, que Snowden possa ser convocado para as fileiras do exército no âmbito da mobilização parcial decretada por Putin na semana passada.

"Pelo facto de Edward não ter servido no exército russo, não tem prática e experiência militar, e não pode ser mobilizado", indicou em declarações à agência noticiosa Interfax.

O ex-analista da Agência Central de Inteligência (CIA, serviços secretos dos EUA), fugiu do seu país de origem após revelar em 2013 detalhes de programas de espionagem norte-americanos à escala global e desde então é perseguido pela justiça do país, que o acusa de ter violado a lei de espionagem.

Para além de escrever livros, Snowden trabalha como consultor e participa em videoconferências a nível mundial sobre as tecnologias da informação, os seus riscos e as suas ameaças.

Apesar de estar na Rússia, o ex-analista tentou também, em 2019, pedir asilo a França. Nestes últimos tempos tem vindo a criticar a forma como os governos acedem às informações pessoas.

Já o ano passado, quando se tornou membro do Global Encryption Coalition, uma aliança dedicada à proteção de encriptação, recordou “como os governos podem abusar do poder para ter acesso aos dados pessoais de pessoas inocentes em nome da segurança nacional”. O ativista acrescentou que introduzir ‘portas de traseiras’ em sistemas encriptados será um “erro colossal que pode colocar milhares de vidas em risco”.

[Notícia atualizada às 18h33]

Leia Também: Ucrânia: Reino Unido sanciona organizadores de "referendos fraudulentos" 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório