Meteorologia

  • 07 OUTUBRO 2022
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 30º

Dois adolescentes mortos em protestos na Guiné-Conacri

Pelo menos duas pessoas, ambos adolescentes, morreram hoje em protestos na capital da Guiné-Conacri contra a junta militar no poder desde o golpe de Estado de setembro de 2021, disseram familiares das vítimas.

Dois adolescentes mortos em protestos na Guiné-Conacri

Os protestos decorreram em várias zonas do país, incluindo cidades e regiões rurais, noticiaram os 'media' locais.

"Depois da morte do jovem Ibrahima Baldé, 19 anos, Alpha Oumar Barry, 16 anos, é a segunda vítima mortal deste dia de protestos", noticiou o jornal local Guinee Matin, citando familiares dos mortos.

Em Conacri, os manifestantes cortaram o trânsito em várias partes da cidade, o que provocou fortes confrontos com a polícia e o exército.

As manifestações foram organizadas pela plataforma opositora Frente Nacional para a Defensa da Constituição (FNDC), uma organização que junta sociedade civil, sindicatos e partidos da oposição.

Apesar da proibição de manifestações em vigor desde maio, a FNDC justifica a convocatória com a "ausência de um quadro de diálogo" entre a junta militar, os atores políticos e a sociedade civil, o "confisco dos direitos e liberdades dos cidadãos", a "corrupção endémica", e a falta de transparência na gestão pública, entre outros.

Em 28 e 29 de julho, pelo menos cinco pessoas morreram em outras manifestações convocadas pela FNDC, depois de as forças de segurança as reprimirem com violência.

No dia 06 de agosto, a junta militar, liderada pelo coronel Mamadi Doumbouya, ordenou, por decreto, a dissolução da plataforma opositora, uma resolução que a FNDC descreveu como "ilegal, infundada e arbitrária".

As organizações Human Rights Watch (HRW) e Amnistia Internacional (AI) condenaram as ações das autoridades de Conacri, alegando que essas medidas "minam ainda mais a democracia".

A Guiné-Conacri é dirigida por uma junta militar desde 05 de setembro de 2021, quando membros do Grupo de Forças Especiais do Exército liderados por Doumbouya fizeram um golpe de Estado e derrubaram o então Presidente desde 2010, Alpha Condé.

Leia Também: Primeira-ministra da Finlândia envolta em polémica após vídeo em festa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório