Meteorologia

  • 09 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 31º

Boris? "Ele não gosta de nós, nós também não gostamos dele", diz Kremlin

A situação britânica “não pode ser uma prioridade” para o trabalho da Rússia, defendeu o porta-voz do Kremlin.

Boris? "Ele não gosta de nós, nós também não gostamos dele", diz Kremlin

O Kremlin referiu-se, esta quinta-feira, à crise governativa do Reino Unido, em que dezenas de governantes já se demitiram do cargo e instaram o primeiro-ministro, Boris Johnson, a fazer o mesmo. Segundo o porta-voz, Dmitry Peskov, citado pela Reuters, a situação britânica “não pode ser uma prioridade” para o trabalho da Rússia.

"Nós esperamos que um dia chegue ao poder na Grã-Bretanha gente mais profissional e capaz de tomar decisões através do diálogo", disse hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, questionado sobre a crise política em Londres. 

“Ele não gosta de nós, nós também não gostamos dele”, atirou Peskov. “A crise governativa no Reino Unido não pode ser uma prioridade para o nosso trabalho”

Também o antigo presidente russo e atual vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev, reagiu, esta quinta-feira, à possível saída de Boris Johnson, descrevendo-a como “o resultado lógico da arrogância britânica e da política medíocre, especialmente no panorama internacional”.

O mais recente escândalo à volta do governo de Boris Johnson deve-se ao comportamento impróprio do deputado e ex-vice-presidente da bancada parlamentar do Partido Conservador, Chris Pincher. Downing Street revelou que o primeiro-ministro falará ainda hoje ao país, e, segundo as estações britânicas BBC e Sky News, deverá apresentar a “demissão de líder do Partido Conservador”.

Leia Também: Líder da oposição considera "boa notícia" eventual demissão de Boris

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório