Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Medvedev. Saída de Boris é "resultado da arrogância e política medíocre"

“Os ‘melhores amigos da Ucrânia’ estão ir embora. A ‘vitória’ está em perigo. O primeiro já foi..”, frisou o ex-presidente russo.

Medvedev. Saída de Boris é "resultado da arrogância e política medíocre"

O antigo presidente russo e atual vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev, reagiu, esta quinta-feira, às notícias que dão conta que o primeiro-ministro, Boris Johnson, se prepara para se demitir do cargo de presidente do Partido Conservador, após dezenas de governantes terem abandonado o governo.

“Notícias de Londres”, começou por escrever o russo na rede social Telegram. “Os ‘melhores amigos da Ucrânia’ estão a ir embora. A ‘vitória’ está em perigo. O primeiro já foi..”, acrescentou.

Medvedev referia-se ao facto de o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, ter afirmado em várias ocasiões que o líder britânico é dos “melhores amigos” europeus de Kyiv na luta da Ucrânia contra a invasão russa.

Para o antigo presidente, a possível saída de Boris do governo é “o resultado lógico da arrogância britânica e da política medíocre, especialmente no panorama internacional”. E acrescentou: “Ps.: Aguardamos notícias da Alemanha, da Polónia e dos países bálticos”.

O mais recente escândalo à volta do governo de Boris Johnson deve-se ao comportamento impróprio do deputado e ex-vice-presidente da bancada parlamentar do Partido Conservador, Chris Pincher. Downing Street revelou que o primeiro-ministro falará ainda hoje ao país, e, segundo as estações britânicas BBC e Sky News, deverá apresentar a “demissão de líder do Partido Conservador”.

Leia Também: Líder da oposição considera "boa notícia" eventual demissão de Boris

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório