Meteorologia

  • 30 SETEMBRO 2022
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 23º

Autoridades de Sloviansk pedem aos civis para abandonarem a cidade

As autoridades ucranianas de Sloviansk apelaram aos civis para abandonarem rapidamente esta cidade do leste da Ucrânia, onde as forças russas mataram hoje duas pessoas na sua ofensiva para a conquista do Donbass.

Autoridades de Sloviansk pedem aos civis para abandonarem a cidade

O governador da região de Donetsk, a que pertence Sloviansk, Pavlo Kyrylenko, disse no serviço de mensagens Telegram que também sete pessoas ficaram feridas no ataque russo, que teve como alvo o mercado central da cidade.

"Mais uma vez, os russos estão a visar intencionalmente os locais onde os civis se reúnem. Isto é terrorismo puro e simples", disse Kyrylenko, citado pela agência noticiosa francesa AFP.

"É importante retirar o maior número de pessoas possível", pediu o presidente da câmara de Sloviansk, Vadim Liakh, segundo a agência noticiosa norte-americana AP.

Após a queda de Lysychansk no domingo, as forças russas avançaram para oeste e dirigiam-se para esta cidade de cerca de 100.000 habitantes antes da guerra, noticiou a AFP.

A cidade de Kramatorsk, o centro administrativo regional ainda sob controlo ucraniano, também está no caminho da ofensiva russa para assumir o controlo do Donbass.

As duas cidades situam-se na região de Donetsk, que integra o Donbass tal como Lugansk.

A Rússia anunciou que as suas forças assumiram o controlo de Lugansk com a conquista das cidades de Severodonetsk e Lysychansk.

Ao celebrar a vitória em Lugansk, o Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou ao seu ministro da Defesa, Serguei Shoigu, que as forças armadas prosseguissem com a ofensiva em Donetsk.

Em 2014, forças pró-russas com apoio de Moscovo iniciaram uma guerra separatista em Donetsk e Lugansk, cuja declaração unilateral de independência foi reconhecida por Putin dias antes da invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro.

Putin disse, na altura, que estava a responder a um pedido de ajuda das autoridades das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk.

A guerra a Ucrânia, que entrou hoje no 132.º dia, provocou um número por determinar de baixas civis e militares.

As Nações Unidas confirmaram a morte de mais de 4.800 civis até à meia-noite de domingo, mas continuam a alertar que os números reais "são consideravelmente mais elevados".

"A receção de informação de alguns locais onde têm ocorrido hostilidades intensas tem sido adiada e muitos relatórios ainda estão pendentes de corroboração", justificou a ONU.

As informações dadas pelos dois lados sobre os combates não podem ser confirmadas de imediato por fontes independentes.

Leia Também: Moscovo diz que armas ocidentais dadas a Kyiv acabam no "mercado negro"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório