Meteorologia

  • 09 AGOSTO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 30º

Boris Johnson considera que o que Putin tem feito na Ucrânia é "maléfico"

"Tem sido um ato terrível de agressão injustificada contra uma população inocente", referiu o chefe do governo britânico.

Boris Johnson considera que o que Putin tem feito na Ucrânia é "maléfico"
Notícias ao Minuto

23:58 - 29/06/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia

O que o presidente russo, Vladimir Putin, tem vindo a fazer em território ucraniano é "maléfico", disse, esta quarta-feira, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, aqui citado pela Reuters.

No âmbito de uma entrevista com a GB News, no contexto da Cimeira da NATO que está atualmente a decorrer em Madrid, Boris Johnson foi questionado se acha que Putin é uma pessoa má. "Penso que o que ele fez é maléfico. E penso que seguindo o princípio de que cada um é aquilo que faz, então certamente", respondeu.

"Tem sido um ato terrível de agressão injustificada contra uma população inocente", referiu ainda o chefe do governo britânico, na mesma entrevista.

O Reino Unido tem sido um dos países mais solidários para com a Ucrânia, com o seu primeiro-ministro a manter telefonemas regulares com Volodymyr Zelensky e a ter já visitado Kyiv, por duas vezes, desde o início da invasão russa, a 24 de fevereiro.

Numa altura em que os 30 líderes representantes dos Estados-membros da NATO têm estado reunidos em Madrid, as forças do Kremlin intensificaram os seus ataques sobre a Ucrânia - nomeadamente sobre a região de Mykolaiv, que tem vindo a ser alvo de ataques com mísseis e bombardeamentos nos últimos dias.

Em causa está aquilo que Moscovo designa como sendo "operação militar especial" concebida para libertar o país do domínio de ultranacionalistas que, segundo afirma o Kremlin, constituem uma ameaça à segurança da própria Rússia.

Esta agressão tem vindo a ser amplamente condenada pela grande maioria dos países ocidentais, que têm respondido com a aplicação de sanções à Rússia e a disponibilização de apoio financeiro, militar e humanitário à Ucrânia.

Segundo os mais recentes dados da Organização das Nações Unidas (ONU), pelo menos 4.731 morreram e outras 5.900 ficaram feridas na sequência dos combates no terreno. No entanto, a organização alerta que o número real de vítimas poderá ser muito superior, dadas as dificuldades em contabilizar baixas civis em territórios controlados ou sitiados pelos russos.

Leia Também: AO MINUTO: Rússia "não atinge civis"; 20 desaparecidos em Kremenchuk

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório