Meteorologia

  • 07 AGOSTO 2022
Tempo
24º
MIN 16º MÁX 26º

Rússia proíbe 43 canadianos de entrar no país

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia acusou ainda o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, de seguir um caminho de "russofobia militante".

Rússia proíbe 43 canadianos de entrar no país
Notícias ao Minuto

11:54 - 27/06/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia/Rússia

A Rússia proibiu 43 cidadãos canadianos de entrar no país, esta segunda-feira, como forma de retaliação às sanções aplicadas a Moscovo.

A lista, publicada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, inclui diversos membros do governo do Canadá, entre eles Suzanne Cowan, presidente do Partido Liberal, assim como Mark Carney, antigo governador do Banco de Inglaterra e do Banco do Canadá.

O organismo acusou ainda o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, de seguir um caminho de “russofobia militante”, razão pela qual “o lado russo reserva-se ao direito de tomar medidas em resposta às ações abertamente hostis de Otava”, remata o comunicado.

Recorde-se que, em abril, Moscovo proibiu a entrada a 61 canadianos, entre eles dirigentes políticos e jornalistas.

Lançada a 24 de fevereiro, a ofensiva militar russa na Ucrânia já provocou a fuga de mais de 15 milhões de pessoas - mais de oito milhões de deslocados internos e mais de 7,5 milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da Organização das Nações Unidas (ONU), que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Além disso, cerca de 15 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária.

A ONU confirmou ainda que mais de quatro mil civis morreram e mais de cinco mil ficaram feridos na guerra, sublinhando que os números reais poderão ser muito superiores e só serão conhecidos quando houver acesso a zonas cercadas ou sob intensos combates.

A invasão russa - justificada pelo presidente russo pela necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e a imposição à Rússia de sanções que atingem praticamente todos os setores.

Leia Também: "Não é problema nosso". Rússia rejeita incumprimento

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório