Meteorologia

  • 24 JUNHO 2022
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 24º

EUA continuarão a financiar refeições de crianças nas escolas

Durante o ano letivo, os subsídios do estado foram aumentados para 4,31 euros por refeição, independentemente do rendimento das famílias.

EUA continuarão a financiar refeições de crianças nas escolas
Notícias ao Minuto

22:19 - 22/06/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Estados Unidos

A medida em vigor nos Estados Unidos da América (EUA) nos últimos dois anos que onde foi decidido que o estado ajudaria financeiramente as escolas na alimentação de milhões de crianças americanas será prolongada.

De momento aguarda-se a aprovação do Congresso, depois de os senadores terem chegado a um acordo, avança a Reuters.

Embora os EUA tenham dado apoio às famílias americanas de forma a diminuir as taxas de fome que aumentaram com a pandemia, as dificuldades voltaram a aumentar após expirarem os pagamentos do crédito fiscal para crianças em janeiro.

O programa 'Keep Kids Fed Act', patrocinado pela democrata do Michigan Debbie Stabenow e pelo republicano do Arkansas John Boozman, prorrogora algumas das isenções alimentares escolares introduzidas em 2020, entre as quais refeições gratuitas a todos os estudantes, flexibilização de diretrizes nutricionais e expansão de ofertas para refeições de Verão.

O secretário da Agricultura dos EUA, Tom Vilsack, disse numa declaração esta quarta-feira que o acordo pretende "aliviar a incerteza e trazer alívio a escolas, locais de Verão e programas de alimentação para os cuidados infantis".

O projeto de lei exige um aumento dos níveis de financiamento pré-pandémico, mas reduz o financiamento recente e a elegibilidade após múltiplas tentativas falhadas de extensão do programa.

"Tivemos muitos pais a ligar e a perguntar se estamos a servir refeições [de Verão]", disse o supervisor dos serviços de nutrição do Distrito Escolar de Holmen, no centro oeste do Wisconsin, Michael Gasper, frisando: "Estamos a alimentar 200 a 300 crianças por dia, numa cidade de 10.000 pessoas. Há claramente uma necessidade".

Segundo o No Kid Hungry, um grupo de defesa da nutrição infantil, desde 2020, ano em que se disponibilizaram refeições de Verão em mais locais, duplicou-se o número de refeições servidas em comparação com 2019.

Durante o ano letivo, os subsídios do estado foram aumentados para 4,56 dólares, o equivalente a 4,31 euros, por cada refeição servida, independentemente do rendimento das famílias.

A nova proposta regressa a uma abordagem por níveis, aumentando a taxa de reembolso para 3,84 euros para os estudantes que se qualificam para refeições gratuitas e 75 cêntimos para refeições pagas. 

Leia Também: ONU alerta que mais de 350 mil crianças podem morrer de desnutrição

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório