Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

George W. Bush foi alvo de tentativa de assassinato por parte do Daesh

O alegado responsável por este plano, segundo a notícia da Forbes, estava nos Estados Unidos da América desde 2020, contando com um pedido de asilo pendente.

George W. Bush foi alvo de tentativa de assassinato por parte do Daesh
Notícias ao Minuto

19:11 - 24/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Daesh

O Daesh (autoproclamado Estado Islâmico) tinha planos para assassinar o antigo presidente dos Estados Unidos da América, George W. Bush, em Dallas. A notícia é avançada pela revista Forbes, que cita o mandado de busca emitido pelo FBI a 23 de março, destinado ao alegado agente do grupo terrorista a quem cabia esta missão.

O tal agente, residente em território norte-americano, terá viajado até Dallas, no anterior mês de novembro, com o objetivo de vigiar as "residências" e os "escritórios" do ex-presidente e de recrutar membros para o auxiliarem no cumprimento desta missão. Estes seriam seus compatriotas, que precisariam de entrar ilegalmente no país através da fronteira com o México. Cabia-lhe ainda a tarefa de "obter armas de fogo e veículos para usar no assassinato", pode ler-se no documento do FBI.

A agência estatal revelou ter descoberto estes planos através do trabalho de dois informadores confidenciais e da vigilância da conta do suposto agente do Daesh no WhatsApp. O 'conspirador' terá dito, de acordo com o mandado, que queria assassinar George W. Bush por achar que ele era responsável pela morte de muitos iraquianos e pelo desmembramento do país após a invasão militar norte-americana sobre o Iraque, em 2003.

O alegado responsável por este plano, segundo a notícia da Forbes, estava nos Estados Unidos da América desde 2020, contando com um pedido de asilo pendente.

Em novembro de 2021, o suspeito terá revelado a um informador do FBI o seu plano de assassinato de Bush, tendo-lhe perguntado se sabia como "obter réplicas ou identidades e distintivos fraudulentos da polícia e/ou do FBI" para ajudar a levar a cabo esta sua missão. Terá questionado ainda se seria possível contrabandear os conspiradores para fora do país do mesmo modo através do qual entraram, após cumprida a tarefa.

O alegado agente do Daesh aqui em causa terá ainda dito que pretendia encontrar e assassinar um ex-general iraquiano que terá auxiliado americanos durante a guerra e que julgava estar a viver em território norte-americano com uma identidade falsa.

O 'conspirador' revelou ainda fazer parte de uma unidade chamada 'Al-Raed', em português 'Trovão', liderada pelo ex-piloto iraquiano de Saddam Hussein, que morreu recentemente. Cerca de sete membros do grupo seriam enviados para os Estados Unidos da América com o objetivo de matar o ex-presidente norte-americano, revela ainda o mandado de detenção.

Segundo o mesmo documento, o suspeito terá dito a uma fonte confidencial do FBI que planeava levar quatro homens nacionais iraquianos localizados no Iraque, Turquia, Egito e Dinamarca para os Estados Unidos - um deles seria “o secretário do ministro das finanças do Daesh”.

O alegado agente do Daesh, sobre o qual recai esta investigação, descreveu ainda os recrutas como sendo “ex-membros do partido Baath, no Iraque, que não concordam com o atual Governo e eram exilados políticos”, revelou o FBI.

A Forbes explica ainda que, pelo facto de ainda não ter sido feita qualquer acusação contra o suspeito, opta por não divulgar o seu nome ou o mandado de detenção completo. A revista aponta ainda que não há informações sobre se o mesmo foi, ou não, entretanto detido.

Leia Também: George W. Bush comete gafe e condena invasão do Iraque, em vez da Ucrânia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório