Meteorologia

  • 30 JUNHO 2022
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 24º

França. Primeira-ministra e ministros demitem-se se perderem legislativas

A primeira-ministra francesa, Elisabeth Borne, assim como os restantes ministros do seu Governo prometem demitir-se caso não saiam vencedores nos seus círculos eleitorais na eleições de 12 e 19 de junho em França.

França. Primeira-ministra e ministros demitem-se se perderem legislativas
Notícias ao Minuto

13:34 - 23/05/22 por Lusa

Mundo França

"A resposta é sim [a primeira-ministra deixará funções caso perca as legislativas], e essa é uma atitude que mostra o seu carácter. Elisabeth Borne é uma mulher completamente comprometida com o seu país e com o projeto político do Presidente da República. Não imagino que uma mulher de palavra como ela é, não a mantenha também neste domínio", disse hoje Olivia Grégoire, a nova porta-voz do Governo de Borne.

Nomeada há uma semana, a primeira-ministra é candidata no departamento de Calvados, na Normandia, onde deverá ganhar mesmo não tendo qualquer ligação a esta região. É a primeira vez que a líder do Governo se apresenta a eleições, arriscando ficar em Matignon menos de um mês, já que perder neste círculo eleitoral das legislativas pode significar a saída prematura do executivo.

Na mesma situação estão mais de 15 ministros que são também candidatos nas eleições legislativas, tendo havido muita especulação se se manteriam no poder caso fossem derrotados nas urnas. 

A confirmação de Olivia Grégoire aconteceu hoje, após o primeiro Conselho de Ministros do novo Governo francês, onde também foi abordado um tema que está desestabilizar Emmanuel Macron, com acusações de violação contra o ministro da Solidariedade, Damien Abad. O recém-nomeado ministro negou as ocasiões.

O jornal online "Mediapart" deu a conhecer no fim de semana o testemunho de duas mulheres que alegam ter sido vítimas do antigo líder dos deputados d'Os Republicanos que agora entrou no Governo de Elisabeth Borne. Uma das mulheres terá mesmo tentado apresentar queixa em duas ocasiões, mas as duas queixas foram arquivadas.

Olivia Grégoire disse que há "tolerância zero contra os delinquentes sexuais" condenados, mas que no caso de Damien Abad é a Justiça que deve investigar, não havendo até agora qualquer condenação.

Leia Também: Governo francês com novos ministros dos Negócios Estrangeiros e Defesa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório