Meteorologia

  • 29 JUNHO 2022
Tempo
23º
MIN 16º MÁX 23º

Líder de partido turco teme que expansão da NATO provoque Rússia

Devlet Bahceli, líder de um partido nacionalista turco aliado do Presidente Recep Tayyip Erdogan, manifestou hoje preocupação com o alargamento da NATO, alertando que a adesão da Suécia e Finlândia pode provocar a Rússia e expandir a guerra.

Líder de partido turco teme que expansão da NATO provoque Rússia
Notícias ao Minuto

19:03 - 17/05/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

Bahceli, líder do Partido de Ação Nacionalista, defendeu hoje, perante os deputados do seu partido, que a opção mais "lógica" seria manter os dois países nórdicos na "sala de espera da NATO".

O líder do Partido de Ação Nacionalista alertou que "a entrada da Suécia e da Finlândia na NATO significará o prolongamento da guerra na Ucrânia e até a sua expansão geográfica".

As declarações de Devlet Bahceli ocorrem um dia depois do chefe de Estado turco ter-se manifestado contra a entrada da Suécia e Finlândia na Aliança Atlântica.

Todos os 30 países que pertencem atualmente à organização de defesa devem estar de acordo para permitir novas entradas.

A Turquia critica a Suécia e a Finlândia por não aprovarem os seus pedidos de extradição de pessoas que acusa de pertenceram a "organizações terroristas", indicou na segunda-feira a agência noticiosa estatal Anadolu.

Segundo a agência estatal, os pedidos de extradição relacionam-se com pessoas procuradas por Ancara e acusadas de serem membros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) ou do movimento de Fethullah Gülen.

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan, antigo aliado do predicador residente nos Estados Unidos Gülen, acusa-o de ter fomentado a tentativa de golpe de Estado de julho de 2016 e considera-o um "chefe terrorista".

Também hoje, Devlet Bahceli acusou os dois países de "ajudarem e serem cúmplices" de militantes curdos.

Ancara considera, em particular, que a Suécia é um 'santuário' - ou 'incubadora' nas palavras de Erdogan - para "terroristas", referindo-se aos membros da guerrilha do PKK ativos na Turquia.

A União Europeia (UE) considera o PKK uma organização terrorista, mas não estende essa classificação às milícias curdo-sírias Unidades de Proteção do Povo (YPG), apoiadas pelos Estados Unidos e outros países, enquanto para a Turquia se trata da mesma entidade, devido aos estreitos laços entre ambas.

"No Parlamento [sueco] há deputados que defendem os terroristas e não entregam aqueles que deveriam ser-nos entregues", destacou Erdogan esta segunda-feira.

A Suécia tem sido um destino regular para ativistas curdos exilados, como Zübeyir Aydar, ex-deputado do parlamento turco procurado por supostas ligações com o PKK, que em abril participou numa conferência no Parlamento sueco.

Deputados suecos já pediram à UE para que o PKK seja retirado da lista de organizações terroristas e a deputada sueca Amineh Kakabaveh, de origem curdo-iraniana, disse que Erdogan se referia a ela quando referiu que há terroristas no Parlamento de Estocolmo.

O PKK iniciou uma luta armada contra o Estado turco em 1984, para alcançar a independência do Curdistão, mas desde 2013 apenas reivindicou a descentralização, para melhorar os direitos dos cerca de 12 milhões de curdos na Turquia.

Desde 2018, a Turquia também luta contra as milícias curdas YPG no extremo norte da Síria, para impedir a criação de uma região curda autónoma neste país, de onde armas e combatentes do PKK poderiam chegar a solo turco.

Além da Suécia e Finlândia, também a Noruega e República Checa, ambos membros da NATO, restringiram as exportações de armas para a Turquia, devido ao conflito contra o YPG na Síria.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia, tendo a invasão sido foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Leia Também: Erdogan vetará adesão de Finlândia e Suécia devido a política pró-curda

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório