Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2022
Tempo
35º
MIN 21º MÁX 37º

Rússia culpa ucranianos por paragem nas exportações de cereais

As exportações de cereais da Ucrânia estão paradas porque os portos do país, onde a Rússia iniciou uma campanha militar em 24 de fevereiro, foram fortemente minados pelos "nacionalistas" ucranianos, acusou hoje o Kremlin.

Rússia culpa ucranianos por paragem nas exportações de cereais

"Os portos ucranianos foram fortemente minados e a navegação é perigosa", afirmou o porta-voz da Presidência russa, Dmitry Peskov, na sua conferência de imprensa diária.

Moscovo acusa os nacionalistas ucranianos, que diz estarem a lutar no território do país vizinho, de minar os portos.

Os Estados Unidos disseram segunda-feira que apoiam as negociações das Nações Unidas com a Rússia e a Ucrânia para tentar que os produtos agrícolas ucranianos voltem aos mercados internacionais, especialmente os cereais.

As exportações estão paralisadas devido à guerra, o que, segundo a organização, já está a causar um aumento da fome no mundo.

Nos últimos dias, o secretário-geral da ONU, António Guterres, salientou que tanto os alimentos como os fertilizantes provenientes da Ucrânia e da Rússia devem regressar o mais rapidamente possível aos mercados, para evitar que a fome se multiplique no mundo e tenha optado por "ações rápidas e decisivas".

O Kremlin insistiu hoje que, para que os cereais ucranianos regressem ao mercado, é necessária " uma operação de desminagem" dos portos.

"É uma operação muito difícil, mas neste momento, a navegação nessas áreas é muito, muito perigosa", disse Peskov, acrescentando que o assunto foi abordado pelo Presidente russo, Vladimir Putin, e Guterres, durante a recente visita deste último a Moscovo.

A guerra na Ucrânia, que entrou hoje no 83.º dia, provocou um número por determinar de baixas e levou mais de 14 milhões de pessoas a fugir de casa, incluindo mais de 6,1 milhões para outros países.

A ONU calcula que cerca de 15 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A generalidade da comunidade internacional condenou a invasão e impôs sanções económicas contra interesses russos.

A União Europeia e países como os Estados Unidos e o Reino Unido têm fornecido armamento à Ucrânia na luta contra as forças russas.

Leia Também: Presidente da União Africana visita Rússia e Ucrânia para debater cereais

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório