Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 24º

Desfile na Coreia do Norte para marcar aniversário das Forças Armadas

A Coreia do Norte organizou hoje um desfile militar em Pyongyang para marcar o 90.º aniversário das suas forças armadas e demonstrar o poder militar do país, segundo fontes citadas pelas agências de notícias internacionais.

Desfile na Coreia do Norte para marcar aniversário das Forças Armadas

Os desfiles militares na Coreia do Norte, país que possui armas nucleares, são uma forma recorrente de assinalar datas importantes para o regime de Pyongyang.

Participam normalmente nestas paradas milhares de soldados, seguidos por um desfile de tanques e outros equipamentos militares. Costumam também ser expostos mísseis de longo alcance ou de alguma tecnologia que o regime quer exibir.

Os observadores internacionais seguem atentamente estes desfiles à procura de indícios de novo armamento desenvolvido pela Coreia do Norte.

O portal sul-coreano NK News noticiou que pelo menos 12 objetos iluminados, possivelmente drones ou helicópteros, foram identificados sobre o centro da capital da Coreia do Norte, indicando um desfile ou um treino militar.

Esperava-se que a Coreia do Norte demonstrasse o seu poder militar para marcar o 110.º aniversário do nascimento do fundador do regime atual, Kim Il Sung, avô do líder norte-coreano, Kim Jong Un, em 15 de abril, mas a data foi celebrada com um desfile civil.

De acordo com imagens de satélite, os preparativos para a parada militar de hoje têm estado em curso desde então, com milhares de soldados e dezenas de veículos a marchar em formação num campo de treino em Pyongyang.

Espera-se que este seja "o maior desfile militar de sempre", envolvendo cerca de 20.000 soldados e o equipamento norte-coreano mais avançado tecnologicamente, disse a agência noticiosa Yonhap, da Coreia do Sul, no fim de semana, citando várias fontes governamentais anónimas.

A Coreia do Norte já realizou mais de uma dúzia de testes de armas este ano, incluindo o disparo de um míssil balístico intercontinental.

Analistas norte-americanos e sul-coreanos advertiram que a Coreia do Norte poderia também retomar os testes nucleares, que não faz desde 2017, atendendo ao aumento da atividade detetada nos locais de testagem militar.

Leia Também: Líderes coreanos trocam cartas a expressarem esperança em boas relações

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório