Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 24º

'Corte' no Nord Stream 2 "foi a medida mais poderosa que foi anunciada"

Para o responsável, a gravidade da ação russa justifica a decisão alemã.

'Corte' no Nord Stream 2 "foi a medida mais poderosa que foi anunciada"
Notícias ao Minuto

00:08 - 24/02/22 por Notícias ao Minuto

Política Guerra na Ucrânia

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, referiu hoje não ter ficado surpreendido com a decisão da Alemanha em não prosseguir com a certificação do Nord Stream 2, um gasoduto entre a Rússia e a Alemanha que transportaria gás natural através do Mar Báltico - e que seria inaugurado este ano. Na verdade, para si, esta “foi a medida mais poderosa que foi anunciada ontem”.

“A gravidade da atuação da Rússia de tal monta que a Alemanha prefere pagar o preço, que é grande, que tem por renunciar, pelo menos temporariamente, a um investimento que permitiria duplicar a capacidade de gás a importar, do que ser complacente com a ação da Rússia”, justifica Santos Silva, em declarações à Grande Entrevista, na RTP3.

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros, esta “foi a medida mais poderosa que foi anunciada ontem; mais do que todas as sanções”.

O responsável salienta compreender “a lógica económica do Nord Stream 2”, devido à meta da Alemanha de encerrar as suas centrais nucleares até 2030, mas tem “uma solução para isso”.

"Portugal tem uma solução para isso, que é aumentar as interconexões dos gasodutos que Portugal, Espanha, vão para a Europa Central, porque isso permite canalizar mais gás que vem dos Estados Unidos da América, mas também da Nigéria, Argélia. Portanto, diversificar as fontes de abastecimento de gás da Europa”, esclarece.

“Quanto mais diversificadas forem as fontes, menos a Europa está dependente da Rússia.”

Portugal, por sua vez, é pouco dependente da Rússia, pelo que “do ponto de vista de consequências diretas, elas são muito poucas”. Contudo, Augusto Santos Silva recorda que “uma eventual escassez de gás no mercado internacional tornará mais competitivos os contratos juntos dos fornecedores”, podendo traduzir-se em consequências indiretas para o país, com “tendência inflacionária agravada”.

Recorde-se que, na terça-feira, o chanceler alemão Olaf Scholz revelou aos jornalistas que não irá prosseguir com a certificação do Nord Stream 2, já que as últimas ações da Rússia foram longe de mais.

Leia Também: Casa Branca anuncia sanções a gestores do gasoduto Nord Stream 2

Recomendados para si

;
Campo obrigatório