Meteorologia

  • 21 MAIO 2022
Tempo
23º
MIN 17º MÁX 24º

Ucrânia: Presidente Zelensky agradece a ajuda dos Estados Unidos

O Presidente ucraniano agradeceu hoje aos Estados Unidos a "ajuda em tempos difíceis", referindo-se à tensão na fronteira com a Rússia, que insiste em apontar o envio de armamento para a Ucrânia como causa dessa tensão.

Ucrânia: Presidente Zelensky agradece a ajuda dos Estados Unidos
Notícias ao Minuto

13:56 - 19/01/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

"Gostaria de agradecer o apoio com ajuda militar à Ucrânia e por aumentar essa ajuda. Temos atribuído fundos recorde desde a independência para apoiar o nosso exército, mas entendemos que, para avançar rapidamente, para o modernizar, precisamos de ajuda, em especial nestes tempos difíceis", afirmou Volodymyr Zelensky ao receber o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.

Os Estados Unidos anunciaram hoje uma ajuda suplementar de 200 milhões de dólares (cerca de 175 milhões de euros) à Ucrânia no quadro da ameaça de uma potencial ofensiva russa. 

No final de 2021, Washington disponibilizou 450 milhões de dólares (quase 400 milhões de euros) em ajuda militar a Kiev antes do envio de tropas russas para a fronteira ucraniana.

Também hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, admitiu, em conferência de imprensa em Moscovo, que a situação "é realmente muito tensa", defendendo que são as armas que estão a ser enviadas para a Ucrânia e as manobras da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) que estão na origem dessa tensão.

O porta-voz da Presidência russa, porém, manifestou-se confiante que os Estados Unidos e a Aliança Atlântica vão responder "nos próximos dias" às exigências de garantias de segurança na Europa reclamadas por Moscovo.

"Até agora, não recebemos uma resposta por escrito. Esperamos tê-la nos próximos dias", indicou Peskov.

Em novembro passado, a Rússia exigiu garantias de segurança vinculativas da NATO e dos Estados Unidos para impedir a expansão da Aliança Atlântica e de armas ofensivas perto de suas fronteiras, principalmente na Ucrânia.

Na semana passada, as exigências russas foram abordadas durante três rondas de consultas com os Estados Unidos, NATO e Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

Terça-feira, o Kremlin qualificou como "extremamente perigosas" as informações sobre o fornecimento de armas à Ucrânia que chegam de Londres e de Washington.

Um dia antes, o ministro da Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, anunciou no Parlamento um acordo para fornecer à Ucrânia novas armas para aumentar a "capacidade defensiva" de Kiev face à possibilidade de uma invasão russa, que os Estados Unidos e as próprias autoridades ucranianas referem que poderá ocorrer ainda no atual período de inverno.

Wallace explicou que o pacote inclui "sistemas leves de armas antitanque" e enfatizou que todo o equipamento é de "curto alcance" e que tem uma utilidade "claramente defensiva", sustentando que não constitui uma "ameaça para a Rússia".

Leia Também: Blinken pede adoção de meios pacíficos para solucionar crise na Ucrânia

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório