Meteorologia

  • 10 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 26º

Mulher foge de Sevilha com os filhos para evitar que sejam vacinados

Mulher, separada do pai dos filhos há seis anos, deixou de levar as crianças à escola a 4 de novembro.

Mulher foge de Sevilha com os filhos para evitar que sejam vacinados
Notícias ao Minuto

23:53 - 29/12/21 por Notícias ao Minuto

Mundo Espanha

A Guardia Civil de Sevilha está a investigar o desaparecimento de dois irmãos, com 14 e 12 anos, depois de a mãe não concordar que os menores fossem vacinados contra a Covid-19 e de querer ser ela a decidir isso.

De acordo com o que escreve o El Mundo, a mulher recusa-se a permitir que os filhos recebam qualquer vacina, nem a do coronavírus nem as correspondentes à sua idade (como o tétano ou a rubéola), alegando que pretende "salvaguardar a sua saúde", explicou ao jornal o advogado do pai. 

David Kau, pai das crianças desaparecidas, apresentou uma queixa às autoridades policiais de Sevilha por rapto dos menores a 16 de dezembro, quando a mãe cortou a comunicação telefónica dos filhos com o progenitor. Segundo o advogado, as crianças estavam "sequestradas" há mais tempo.

No dia 4 de novembro, o advogado da mulher informou que a sua cliente não iria levar as crianças à escola e que não iria cumprir com o regime de visitas estabelecidas na guarda partilhada. A partir desse dia, os meninos deixaram de ir ao colégio e mudaram-se aparentemente para Jerez de la Frontera (em Cádis), onde a mulher mora com o companheiro.

Entre 4 de novembro até meados de dezembro, os menores ainda falaram ao telefone com o pai, mas a partir do dia 16 todas as comunicações foram interrompidas. 

O pai teme agora que a mulher fuja de Espanha com os dois meninos, uma vez que o atual companheiro da mãe dos filhos tem propriedades e negócios em em Andorra, Londres e no Uruguai, segundo o advogado. 

A mulher tinha requerido judicialmente o poder paternal dos filhos e que a guarda conjunta fosse revogada para que fosse ela a decidir sobre a vacinação das crianças. Um pedido que a justiça lhe negou e que terá levado a mulher a deixar de levar as crianças à escola. O casal está separado há seis anos. 

Leia Também: AO MINUTO: 50 mil casos à vista em Portugal?; Países batem recordes

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório