Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2022
Tempo
14º
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Escolas fechadas, teletrabalho e vida noturna reduzida na Dinamarca

Encerramento de escolas, limitações da vida noturna e teletrabalho generalizado foram hoje anunciados pela primeira-ministra da Dinamarca como medidas para controlar a nova vaga de contágios da covid-19 no país.

Escolas fechadas, teletrabalho e vida noturna reduzida na Dinamarca
Notícias ao Minuto

21:23 - 08/12/21 por Lusa

Mundo Covid-19

"Sabemos como a presença na escola é importante para o bem-estar das crianças e dos jovens, por isso estamos a acrescentar uns dias às férias de Natal, mas o plano não é voltar a ter um longo encerramento", afirmou a primeira-ministra, Mette Frederiksen, numa conferência de imprensa, garantindo querer "manter a sociedade aberta o máximo de tempo possível".

Segundo o diretor da autoridade dinamarquesa de controlo das doenças infecciosas, Henrik Ullum, a situação é "extremamente séria".

As autoridades registaram 6.629 novos contágios nas últimas 24 horas, ultrapassando os mais de 2.000 casos de dezembro de 2020.

Na última semana, o número de infeções registou o máximo histórico de 35.814 casos, um aumento de 19% face à semana anterior.

As férias escolares do Natal deveriam começar no dia 17 e terminar a 03 de janeiro, mas as escolas vão encerrar a partir do dia 15 até 05 de janeiro.

A partir de sexta-feira, bares e restaurantes, onde o uso da máscara volta a ser de novo obrigatório, vão encerrar à meia-noite e fica interdita a venda de álcool depois dessa hora.

Depois de viver dois meses sem restrições, o país reintroduziu o passe sanitário e o uso obrigatório da máscara.

Dinamarca regista 577 casos confirmados da variante Ómicron, o primeiro dos quais detetado a 22 de novembro.

Para Ullum, a variante é "perigosa pelas suas inúmeras mutações e por se ter expandido rapidamente pelo mundo".

"Supomos que a Ómicron provoque sintomas semelhantes às variantes anteriores do vírus", acrescentou.

Com 5,8 milhões de habitantes, a Dinamarca é um dos países que melhor se apetrechou na identificação rápida de novos casos, o que também explica o número de contágios.

80% da população com mais de 5 anos está vacinada e mais de um milhão de pessoas já receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19.

A covid-19 provocou pelo menos 5.270.700 mortes em todo o mundo, entre mais de 266,54 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como "preocupante" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Leia Também: Reino Unido dá passo atrás. Voltam as máscaras e o teletrabalho

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório