Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2021
Tempo
15º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

"França não vai deixar o Canal da Mancha virar um cemitério"

Depois do naufrágio de um barco de migrantes no Canal da Mancha, Macron quer uma reunião de emergência entre ministros europeus e garante que "tudo será feito para encontrar e condenar os responsáveis" pela tragédia.

"França não vai deixar o Canal da Mancha virar um cemitério"

O Presidente francês apelou hoje à convocação de uma reunião de emergência dos ministros europeus, depois do naufrágio de um barco de migrantes no Canal da Mancha, esta quarta-feira, que provocou cerca de 30 mortos.

"A França não vai deixar o Canal da Mancha se tornar um cemitério", assegurou Emmanuel Macron, pedindo o "reforço imediato" dos recursos da agência Frontex nas fronteiras externas da União Europeia.

O presidente de França apelou a uma "reunião de emergência dos ministros europeus preocupados com o desafio das migrações" e garante que "tudo será feito para encontrar e condenar os responsáveis" por esta tragédia.

Segundo Macron, se os esforços não forem ampliados, "outras tragédias vão acontecer novamente".

Já o ministro do interior francês, Gerald Darmanin, aponta o dedo às redes de traficantes.

O primeiro-ministro, Jean Castex, convovou para quinta-feira de manhã, pelas 8h30, uma reunião interministerial sobre este assunto.

Esta tragédia é a mais mortal desde o aumento das travessias migratórias no Canal da Mancha, em 2018, face ao crescente bloqueio do porto de Calais e do túnel do Canal utilizado até então por migrantes que tentavam chegar ao Reino Unido.

Leia Também: Cerca de 30 mortos no naufrágio de um barco de migrantes perto de Calais

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório