Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2021
Tempo
16º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Ex-presidente da Costa do Marfim lança o Partido dos Povos Africanos

O ex-presidente costa-marfinense Laurent Gbagbo apresentou hoje oficialmente o Partido dos Povos Africanos -- Costa do Marfim (PPA--CI), a sua nova formação política, um movimento "pan-africano de esquerda" que vai liderar e na perspetiva da eleição presidencial de 2025.

Ex-presidente da Costa do Marfim lança o Partido dos Povos Africanos
Notícias ao Minuto

20:27 - 17/10/21 por Lusa

Mundo Laurent Gbagbo

"O nome do novo partido do presidente Laurent Gbagbo é Partido dos Povos Africanos -- Costa do Marfim", anunciou Sébastian Dano Djédjé, presidente do Congresso que fundou o novo partido.

Na noite de sábado para hoje, Laurent Gbagbo foi eleito sem surpresa para a liderança do novo movimento e aclamado pelos cerca de 1.600 delegados presentes em Abidjan.

Na manhã de hoje, o símbolo do PPA--CI -- os dedos das duas mãos entrelaçados num mapa de África -- foi oficializado, simbolizando a visão pan-africana do novo partido.

Diversos representantes políticos de uma dúzia de países africanos compareceram este fim de semana na capital costa-marfinense para assistir à fundação do novo partido.

A Frente Popular da Costa do Marfim (FPI), fundado na clandestinidade em 1982, é agora dirigido pelo seu ex-primeiro-ministro Pascal Affi N'Guessan, com quem Gbagbo, 76 anos, está em rutura política.

A maioria dos quadros do FPI seguiram Gbagbo nesta nova opção política.

Com o PPA--CI, Laurent Gbagbo assinala o seu regresso ao primeiro plano da cena política, quatro meses após o seu regresso à Costa do Marfim, após 10 anos de ausência, e absolvido pela justiça internacional que o julgava por crimes contra a humanidade na sangrenta crise pós-eleitoral de 2010.

Este novo partido poderá tornar-se uma das principais forças da oposição, com o Partido Democrático da Costa do Marfim (PDCI) do ex-presidente Henri Konan Bédié.

As próximas presidenciais estão previstas para 2025, mas o executivo equaciona impor uma idade limite de 75 anos para concorrer ao escrutínio.

Caso se concretize a medida, o chefe de Estado Alassane Ouattara e os seus antecessores Laurent Gbagbo e Henri Konan Bédié ficariam impedidos de apresentar a candidatura.

Leia Também: Ex-presidente da Costa do Marfim Laurent Gbagbo quer criar novo partido

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório