Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Irão volta a adiar execução de jovem preso aos 17 anos por homicídio

O Irão voltou a adiar a execução de um homem preso aos 17 anos por homicídio, devido às pressões internacionais de que tem sido alvo, noticiou hoje o diário Etemad.

Irão volta a adiar execução de jovem preso aos 17 anos por homicídio
Notícias ao Minuto

11:39 - 16/10/21 por Lusa

Mundo Arman Abdolali

"A execução de Arman Abdolali, que deveria ser aplicada esta manhã, não ocorreu e o jovem foi enviado de volta à prisão", escreveu o jornal iraniano na edição online, sem precisar mais pormenores.

Já o jornal Hamchahri, do município de Teerão, anunciara na quarta-feira que a execução estava prevista para esse dia, mas fora adiada para hoje, acrescentando que o condenado seria provavelmente executado "em breve".

Agora com 25 anos, o jovem foi "condenado à morte por um crime cometido quando era menor no final de um julgamento manifestamente injusto caracterizado por "confissões obtidas sob tortura", denunciou a organização não-govenamental (ONG) de direitos humanos Amnistia Internacional, num comunicado divulgado na quarta-feira.

"As autoridades iranianas devem reverter imediatamente a execução" da pena de morte, acrescentava o documento da Amnistia Internacional.

Segundo esta ONG, o Irão executou 246 pessoas em 2020.

Teerão já tinha programado a execução de Arman Abdolali para janeiro de 2020 e julho de 2021 antes de renunciar à execução devido à pressão internacional de que tem sido alvo.

O Irão é condenado com frequência pelo Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), bem como por ONG ocidentais devido à execução de pessoas por crimes cometidos quando eram menores, numa violação da Convenção Internacional sobre Direitos Humanos, ratificada por Teerão.

A República Islâmica do Irão está a tentar reduzir a "zero" o número de execuções de jovens infratores, disse, em julho último, à agência de notícias France-Presse (AFP), Majid Tafréchi, adjunto do diretor de assuntos internacionais da autoridade judiciária encarregado dos direitos humanos.

Leia Também: Nuclear. Irão alerta Israel contra "qualquer aventura militar"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório