Meteorologia

  • 16 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 7º MÁX 16º

Edição

Freira colombiana raptada em 2017 por radicais islâmicos foi libertada

Uma freira colombiana franciscana, Gloria Cecilia Narvaez, raptada em fevereiro de 2017 por radicais islâmicos numa zona de fronteira do Mali com o Burkina Faso, foi libertada hoje, anunciou a Presidência do Mali numa declaração.

Freira colombiana raptada em 2017 por radicais islâmicos foi libertada
Notícias ao Minuto

22:49 - 09/10/21 por Lusa

Mundo Gloria Cecilia Narvaez

Gloria Cecilia Narvaez Argoti foi raptada em 7 de fevereiro de 2017 em Karangasso, perto de Koutiala, no sul do Mali, perto da fronteira com o Burkina Faso, onde trabalhava havia então seis anos como missionária.

A Presidência do Mali saudou "a coragem e bravura" da freira, e explicou que a libertação foi "o culminar de quatro anos e oito meses de esforços combinados de vários serviços de inteligência".

O Presidente de transição no Mali, coronel Assimi Goita, garantiu no mesmo comunicado ao povo maliano e à comunidade internacional que "estão em curso" esforços para libertar todas as pessoas sequestradas no país.

A libertação da religiosa colombiana foi confirmada à agência France-Presse (AF) pelo arcebispo de Bamako, Jean Zerbo, que assegurou que a mulher está "bem".

"Temos rezado muito pela sua libertação. Agradeço às autoridades malianas e todas as pessoas de boa vontade que tornaram possível esta libertação", afirmou o arcebispo.

O irmão da até agora refém dos radicais islâmicos, Edgar Narváez, expressou a sua emoção depois de receber a confirmação da libertação.

"Graças a Deus, ela encontra-se bem de saúde, enviaram-me fotografias e ela parece bem", disse Narvaez, numa breve conversa com a AFP.

Numa carta em julho último, que Gloria Narvaez fez chegar ao seu irmão através da Cruz Vermelha, a religiosa explicou que estava detida por "um grupo do GSIM" - Grupo de Apoio ao Islão e aos Muçulmanos, ligado à al-Qaida.

Um jornalista francês, Olivier Dubois, foi raptado no início de abril no norte do Mali por rebeldes ligados à Al-Qaida.

Leia Também: França "não tem vocação" para ficar no Mali por muito tempo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório