Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

"Seis cruzes valem bem acordar cedo", em Berlim já se corre para o voto

Música, helicópteros, máscaras e filas. Em Berlim já se vota desde as 8h00 da manhã. Há três eleições, um referendo, e uma maratona, que fazem com que hoje seja um dia histórico.

"Seis cruzes valem bem acordar cedo", em Berlim já se corre para o voto
Notícias ao Minuto

11:27 - 26/09/21 por Lusa

Mundo Eleições Alemanha

O sol, que já não aparecia há uns dias, deixa ver algumas t-shirts a caminho da escola de ensino básico "Allegro", no distrito de Schöneberg.

"É um dia muito importante", sublinha Melina Götz, que vai votar com a mãe.

"Será o primeiro chanceler depois de um longo período de tempo, muitas coisas vão mudar. Para os mais jovens há uma grande interrogação, o que irá acontecer com as questões ambientais, mas, em geral, o que irá acontecer com a Alemanha", declara à agência Lusa.

Para Melina há "um partido óbvio" que pretende defender as questões ligadas ao clima, mas existem "outros temas importantes que precisam de ser valorizados", por isso foi "interessante" descobrir o partido "certo" em qual votar.

Antes de entrar na escola, é pedido o uso de máscara. Na fila, a distância de segurança é respeitada. Há pessoas de todas as idades, muitas de bicicleta, outras com cães, num dia em que "vale bem a pena acordar cedo".

"É importante para Berlim, e para a Alemanha, votar numa direção diferente", destaca Uwe, enquanto segura na bicicleta. "Não foi uma decisão difícil, porque já tínhamos muita informação, e os políticos foram bastante abertos em relação às suas ideias, tivemos bastante tempo para formar uma idea."

O alemão, de 43 anos, assume respeitar muito Angela Merkel, concordando com várias das suas políticas, mas acredita que o país vai ficar bem sem ela.

"Estamos habituados a ela, e acho que foi fantástica à sua maneira, mas penso que é altura de mudar", avalia, antes de seguir caminho para assistir à anual maratona de Berlim.

Não muito longe da escola, na Potsdamer Strasse, está tudo preparado para ver passar os atletas. Há música, e um helicóptero sobrevoa a cidade. Sébastien está encostado às grades.

"Já votei. É muito importante para os distritos, para a região de Berlim, e para o país", realça, explicando que Berlim tem hoje três eleições e um referendo consultivo sobre a expropriação das sociedades imobiliárias que detenham mais de 3.000 habitações na cidade.

"Não me foi difícil tomar uma decisão hoje, já sabia em quem votar. Foi uma tarefa bastante rápida", aponta, comparando esta campanha com a dos Estados Unidos.

"Foi bem mais moderada, centrou-se em verdadeiros temas políticos, não estou desiludido", preferindo não revelar em quem votou, mas admitindo que as várias cruzes foram para diferentes partidos.

"Estou otimista em relação ao futuro, o importante é que as pessoas votem e escolham. É um dia único para Berlim, quem sair de casa ainda tem o bónus do sol e de ver passar a maratona. Não é para todos", ri, antes de se despedir.

Analistas acreditam que os diferentes destinos de voto em Berlim possam levar a um aumento da afluência.

Um elemento da organização das eleições na escola "Allegro", que preferiu não ser identificado, assumiu que, durante as primeiras horas da manhã, o movimento foi praticamente o mesmo do registado em 2017.

As urnas encerram às 18:00 (17:00 de Lisboa).

Leia Também: Eleições na Alemanha: Olaf Scholz votou no centro da cidade de Potsdam

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório