Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Médicos nigerianos em greve. Analistas receiam terceira vaga pandémica

Os médicos dos hospitais públicos da Nigéria entraram hoje em greve, em protesto contra o não pagamento de salários em atraso e falta de recursos nos hospitais do país, que temem uma terceira vaga de coronavírus.

Médicos nigerianos em greve. Analistas receiam terceira vaga pandémica
Notícias ao Minuto

13:21 - 02/08/21 por Lusa

Mundo Covid-19

A greve, a última de uma série liderada pela Associação Nacional de Estagiários (Nard), que representa 40% dos médicos na Nigéria, "começou às 08:00 desta manhã", segundo o presidente da organização sindical, Uyilawa Okhuaihesuyi, em declarações à agência France Presse.

O sindicato apela ainda ao Governo nigeriano para honrar a promessa de pagar uma indemnização às famílias dos médicos que morreram enquanto lutavam contra o coronavírus.

"Pedimos ao Governo que pague um seguro de vida a 19 dos nossos membros, que morreram enquanto trabalhavam na linha da frente", afirmou Okhuaihesuyi.

Os médicos nigerianos têm vindo a ameaçar com regularidade entrar em greve, na esperança de obter das autoridades o pagamento dos respetivos salários em atraso, bem como um aumento dos recursos atribuídos aos hospitais públicos em dificuldades do país. Reclamam ainda que não existem camas, medicamentos e kits de proteção suficientes nas instalações hospitalares.

A Nigéria, um país de 200 milhões de pessoas, tinha 42.000 médicos generalistas registados em 2019, segundo a Associação Médica Nigeriana (NMA), o que resulta numa média de dois médicos para cada 10.000 habitantes.

Na altura dos primeiros casos de coronavírus no país, em março de 2020, o médico Francis Faduyile, presidente da NMA, afirmou que "entre 70% e 80% das instituições de saúde pública não tinham água corrente ou água limpa suficiente para lavar as mãos".

As autoridades nigerianas receiam que uma greve possa desestabilizar ainda mais o sistema de saúde, que já está sob pressão da epidemia de coronavírus, numa altura em que o país necessita de vacinar a sua população.

A Nigéria regista até agora oficialmente 174.315 casos de infeção com o coronavírus e 2.149 mortes associadas à covid-19. Estes números são, no entanto, subestimados, atendendo ao baixo número de testes realizados.

Em julho, o Centro Nigeriano de Controlo de Doenças (NCDC) afirmou ter detetado a variante Delta do vírus, altamente contagiosa, o que levou as autoridades sanitárias nigerianas a antecipar uma terceira vaga da epidemia.

Leia Também: AO MINUTO: Vacinação gera divisão; Imunidade grupo em França só no outono

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório