Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2021
Tempo
21º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Bilionário crítico do regime chinês condenado a 18 anos de prisão

O bilionário do setor agrícola e crítico do Governo chinês Sun Dawu foi hoje condenado a 18 anos de prisão por vários crimes, informou um tribunal do norte da China.

Bilionário crítico do regime chinês condenado a 18 anos de prisão
Notícias ao Minuto

17:27 - 28/07/21 por Lusa

Mundo China

O julgamento do mediático empresário autodidata, de 67 anos, e líder de um grupo especializado em agricultura, foi apontado pelos seus defensores como tendo sido de caráter político.

De acordo com um comunicado do Tribunal Popular de Gaobeidian, na província de Hebei, norte da China, Sun Dawu foi condenado a 18 anos de prisão e multado em 3,11 milhões de yuans (405.000 euros).

Sun foi acusado de "mineração ilegal", "ocupação ilegal de terras agrícolas", "obstrução do serviço público", "aglomeração de multidões para agredir órgãos do Estado" ou "provocar distúrbios". Esta última acusação costuma ser usada contra críticos do regime na China.

O magnata, familiares e funcionários foram presos, no final de 2020, após uma disputa de terras com uma quinta, propriedade do governo de Hebei.

Juntamente com a sua mulher, o empresário construiu uma das maiores empresas agrícolas da China, a partir de uma exploração com uns poucos frangos e porcos, nos anos 1980.

Também foi um firme defensor das reformas rurais e denunciou o devastador surto de gripe suína em 2019, publicando fotos de animais mortos, ante a lenta resposta das autoridades locais.

A sentença é uma das mais pesadas dos últimos anos contra um crítico do regime chinês. É igual ao infligido, no ano passado, a outro magnata, Ren Zhiqiang, condenado por corrupção.

Ren ousou comparar o Presidente chinês, Xi Jinping, a um "palhaço" pelo seu papel na luta contra a epidemia da covid-19.

Sun Dawu também criticou veementemente as autoridades pela sua gestão da pandemia.

Um crítico regular das políticas rurais, Sun Dawu pediu que os agricultores tivessem mais liberdade para se organizarem e protegerem os seus interesses económicos.

Ilustrando a sensibilidade do seu julgamento, uma forte presença policial era visível perto do tribunal, de acordo com um vídeo compartilhado pelo advogado.

O julgamento "violou os padrões judiciais e os direitos dos acusados não foram garantidos", lê-se num comunicado do seu advogado.

Sun Dawu teve seu primeiro confronto com a lei em 2003.

Ele foi então condenado a quatro anos de prisão por "arrecadação ilegal de fundos", após ser considerado culpado de arrecadar 13 milhões de yuans (1,7 milhão de euros à taxa atual) para o seu negócio, sem autorização do banco central.

Leia Também: Pandemia já matou quase 4,18 milhões de pessoas em todo o mundo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório