Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 26º

Edição

Portal da estação televisiva da oposição Belsat declarado "extremista"

A Justiça bielorrussa declarou "extremistas" o 'site' da internet e as páginas das redes sociais da estação televisiva da oposição Belsat, sediada na Polónia, indicou hoje o Ministério do Interior bielorrusso.

Portal da estação televisiva da oposição Belsat declarado "extremista"

"Os meios de informação da Belsat foram considerados extremistas", declarou o ministério num comunicado divulgado na aplicação de mensagens instantâneas Telegram.

Esta decisão foi tomada hoje por um tribunal de Gomel, no sudeste da Bielorrússia, chamado a pronunciar-se pelo departamento de polícia regional encarregado do combate à corrupção e ao crime organizado, segundo a mesma fonte.

A decisão abrange o 'site' da internet da estação de televisão, bem como as suas páginas nas redes sociais, nomeadamente Facebook e Instagram.

A partilha de informações provenientes de "fontes extremistas" é punível com multa ou mesmo com prisão, recordou o ministério.

Desde há meses que o regime do Presidente, Alexandre Lukashenko, detém opositores, jornalistas e ativistas, para asfixiar definitivamente a contestação desencadeada pela sua reeleição -- considerada fraudulenta -- para um quinto mandato presidencial, em agosto de 2020.

Na semana passada, a Bielorrússia fez encerrar dezenas de organizações não-governamentais (ONG) e associações bielorrussas de áreas que vão da defesa dos direitos humanos ao jornalismo.

No início de julho, uma série de rusgas e detenções tiveram como alvos a imprensa independente e da oposição, enquanto 11 estudantes e um professor foram condenados a pesadas penas de prisão por se terem manifestado contra o poder.

Em fevereiro, duas jornalistas da estação televisiva Belsat, Daria Tchultsova e Katerina Bakhvalova, foram condenadas a dois anos de prisão, por terem fomentado "distúrbios" ao fazerem a cobertura dos protestos de 2020.

Esse movimento de contestação, que fez concentrar durante meses dezenas de milhares de manifestantes, foi reprimido com detenções em massa, por vezes tortura e exílio forçado para os seus líderes.

Leia Também: Bielorrússia vai encerrar dezenas de ONG e associações

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório