Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2021
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Biden acusa desinformação sobre vacinas nas redes sociais de "matar"

O presidente norte-americano Joe Biden acusou hoje as grandes operadoras de redes sociais, por onde circula a desinformação sobre as vacinas contra a covid-19, de "matar pessoas".

Biden acusa desinformação sobre vacinas nas redes sociais de "matar"
Notícias ao Minuto

23:59 - 16/07/21 por Lusa

Mundo EUA

"Estão a matar pessoas. A única pandemia que temos está a afetar pessoas que não foram vacinadas. Estão a matar pessoas", afirmou Biden, citado pela agência de notícias France Presse (AFP), que explica que o presidente tinha sido questionado sobre grupos como o Facebook.

A declaração de Biden surge um dia depois de o cirurgião-geral dos EUA, Vivek Murthy, ter feito um discurso no mesmo sentido, pedindo um esforço nacional para combater a desinformação sobre a covid-19 e a vacinação.

No seu primeiro comunicado enquanto cirurgião geral do presidente Joe Biden, Murthy focou-se na pandemia e alertou para o facto de as informações falsas levarem a que muita gente rejeite as vacinas e os conselhos de saúde pública, como o uso de máscaras ou o distanciamento social.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 600 mil mortes nos Estados Unidos mas o ritmo de vacinação começou a diminuir no país.

Vivek Murthy acredita que esta oposição à vacina foi sendo alimentada por fakenews.

Tendo em conta o papel da internet na disseminação de informações incorretas, Murthy pediu às empresas de tecnologia e plataformas de media que façam mudanças nos seus produtos e software para que se consiga reduzir a disseminação de informações incorretas e, ao mesmo tempo, aumentar o acesso a fontes fidedignas.

O Facebook, YouTube, Twitter e outras plataformas têm criado sistemas para tentar controlar a desinformação. O Twitter, por exemplo, anunciou esta quinta-feira que removeu mais de 40 mil publicações que violavam as regras de desinformação covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou mais de quatro milhões de mortos em todo o mundo, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.194 pessoas e foram registados 922.747 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde. 

No entanto, neste momento, mais de 40% da população em Portugal já está totalmente vacinada contra o novo coronavirus e, segundo a Direção-Geral da Saúde, apenas 0,1% das pessoas com vacinação completa foi infetada com o vírus.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Leia Também: Estados Unidos enfrentam "pandemia dos não vacinados"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório