Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 6º MÁX 18º

Edição

Parlamento ucraniano aprova nomeação de novo ministro do Interior

O Parlamento ucraniano aprovou hoje a nomeação de Denys Monastyrsky como novo ministro do Interior, após a renúncia do seu influente antecessor, Arsen Avakov, que permanecia no cargo desde 2014.

Parlamento ucraniano aprova nomeação de novo ministro do Interior
Notícias ao Minuto

18:43 - 16/07/21 por Lusa

Mundo Ucrânia

Arsen Avakov, ministro do Interior da Ucrânia que ocupou o lugar por mais tempo, abandonou funções no início desta semana, sem, contudo, apresentar explicações para a decisão, e o Parlamento aceitou a sua renúncia, na quinta-feira.

Hoje, o mesmo Parlamento aprovou a nomeação para ministro do Interior - indicada pelo Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky - de Denys Monastyrsky, um deputado do partido Servos do Povo, que apoia o Governo.

Monastyrsky, 41 anos, atuou anteriormente como presidente da comissão judicial do Parlamento e membro do Conselho Nacional de Políticas Anticorrupção, tendo confessado que a decisão de aceitar a oferta de Zelensky foi "a mais difícil" da sua vida.

Avakov foi considerado um dos membros do Governo mais influentes da Ucrânia, tendo servido como ministro do Interior em quatro executivos diferentes e sob dois Presidentes, mantendo o cargo apesar das frequentes remodelações governamentais e de numerosas alegações de corrupção.

Em 2014, Avakov desempenhou um papel fundamental nos esforços para conter um movimento separatista apoiado pela Rússia no leste da Ucrânia, ajudando a formar batalhões de voluntários que lideraram a luta contra os rebeldes na fase inicial do conflito, que eclodiu semanas depois da anexação da península da Crimeia pela Rússia.

O seu filho foi detido por um breve período em 2017, no âmbito de uma investigação sobre o alegado desvio de fundos do Estado atribuídos ao Ministério do Interior para a compra de equipamento para a Guarda Nacional da Ucrânia.

"Poderá haver mil razões para a demissão. Mas o facto de o próprio Avakov ter escrito a carta de demissão significa que ele pretende manter relações de parceria" com Volodymyr Zelensky, explicou Volodymyr Fesenko, analista político de Kiev e dirigente do 'think tank' Penta Center.

Leia Também: Merkel reitera que Ucrânia é "país de trânsito" para gás russo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório