Meteorologia

  • 25 JULHO 2021
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 27º

Edição

Parlamento Europeu anuncia prémio de jornalismo Daphne Caruana Galizia

O Parlamento Europeu anunciou hoje a criação do Prémio de Jornalismo Daphne Caruana Galizia, destinado a "recompensar um jornalismo de excelência" e os "princípios fundamentais" da União Europeia.

Parlamento Europeu anuncia prémio de jornalismo Daphne Caruana Galizia

De acordo com um comunicado, este prémio anual, no valor de 20.000 euros, destina-se a recompensar "um jornalismo de excelência que fomente e defenda os princípios fundamentais da União Europeia, tais como a dignidade humana, a liberdade, a democracia, a igualdade, o Estado de direito e os direitos humanos".

O prémio tem o nome de Daphne Caruana Galizia, uma jornalista, bloguer e ativista anticorrupção maltesa cujo trabalho jornalístico se centrava na corrupção, branqueamento de capitais, criminalidade organizada, ou nas ligações do governo maltês aos chamados "Panama Papers".

Os "Panama Papers" são um conjunto de 11,5 milhões de documentos confidenciais de autoria da sociedade de advogados panamiana Mossack Fonseca que fornecem informações detalhadas de mais de 214.000 empresas de paraísos fiscais 'offshore', incluindo as identidades dos acionistas e administradores.

Após diversos episódios de assédio e ameaças, Caruana Galizia foi assassinada aos 53 anos em consequência da explosão de um carro armadilhado a 16 de outubro de 2017.

Os protestos relativos à gestão da investigação do seu homicídio pelas autoridades acabaram por implicar a demissão do primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat.

Em dezembro de 2019, os eurodeputados apelaram à Comissão Europeia para que adotasse medidas em relação às falhas verificadas na investigação do homicídio.

As candidaturas ao prémio hoje anunciado abrangem "jornalistas ou equipas de jornalistas profissionais de qualquer nacionalidade que apresentem artigos de fundo publicados ou difundidos nos meios de comunicação social sediados num dos 27 países da União Europeia", e o seu objetivo consiste em "apoiar e destacar a importância do jornalismo profissional na salvaguarda da liberdade, da igualdade e da oportunidade".

O vencedor será eleito "por um júri independente, composto por representantes da imprensa e da sociedade civil dos 27 Estados-membros, bem como das principais associações de jornalismo europeias", precisa o texto.

A cerimónia de entrega do prémio vai decorrer anualmente, por volta da data de 16 de outubro, data do assassínio de Daphne Caruana Galizia.

Este ano, a cerimónia vai decorrer no dia 14 de outubro, no Parlamento Europeu.

Os promotores da iniciativa sublinham ainda que o galardão e o prémio de 20.000 euros "demonstram o forte apoio do Parlamento Europeu ao jornalismo de investigação e a importância de uma imprensa livre", e recordam que através de uma resolução aprovada em maio de 2018, os eurodeputados "apelaram aos Estados-membros para que assegurem um financiamento público adequado e promovam meios de comunicação social pluralistas, independentes e livres".

Os jornalistas apenas podem apresentar o(s) seu(s) artigo(s) através do endereço eletrónico http://daphnejournalismprize.eu/.

Leia Também: "Eu chego como quiser". Bolsonaro insulta jornalista por causa de máscara

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório