Meteorologia

  • 29 JULHO 2021
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

Kremlin diz que pessoas não vacinadas podem ser alvo de discriminação

O governo russo sublinha que as pessoas que não foram vacinadas "não podem trabalhar em todos os locais de trabalho".

Kremlin diz que pessoas não vacinadas podem ser alvo de discriminação

A Rússia está a registar um aumento acentuado no número de casos de Covid-19, após muitas semanas em que a situação parecia estar sob controlo. Esta recente mudança no panorama levou o Kremlin a endurecer o seu discurso no que diz respeito às pessoas que não foram vacinadas.

A Reuters adianta que, esta terça-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, admitiu perante os jornalistas que as pessoas que não foram vacinadas ou que não têm imunidade face ao SARS-CoV-2 representam uma “ameaça” nos seus locais de trabalho e que podem ser alvo de discriminação.

“A realidade é tal que a discriminação vai inevitavelmente verificar-se. As pessoas que não foram vacinadas ou que não têm imunidade não vão poder trabalhar em todos os locais de trabalho. Não é possível. Vão ser uma ameaça para aqueles que os rodeiam”, salientou Peskov.

Esta segunda-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, alertou que a pandemia está a agravar-se em algumas regiões do país, isto numa altura em que as autoridades estão a promover a ideia de novas vacinações regulares para tentarem travar o surto de infeções.

Segundo a agência RIA Novosti, esta terça-feira foram reportados 16.715 novos casos de Covid-19 na Rússia e foram notificadas mais 546 mortes. A maioria dos novos contágios continua a verificar-se em Moscovo.

Leia Também: AO MINUTO: Seis surtos ativos em lares. Pico da 4.ª vaga num mês

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório