Meteorologia

  • 30 JUNHO 2022
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 24º

Moçambique. EUA condena violência que mostra "desrespeito pela população"

Os Estados Unidos da América (EUA) condenaram hoje o ataque terrorista na cidade de Palma, província de Cabo Delgado, iniciado na quarta-feira, considerando que demonstra um "total desrespeito pela população"

Moçambique. EUA condena violência que mostra "desrespeito pela população"

"Os Estados Unidos condenam veementemente os ataques terroristas e a violência contra civis na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique. Os ataques mostram um total desrespeito pela população local, que tem sofrido tremendamente devido às táticas brutais e indiscriminadas dos terroristas", referiu um comunicado do Departamento de Estado norte-americano.

No documento, Washington pediu um "fim imediato à violência" e a "responsabilização" dos perpetradores dos ataques.

O executivo norte-americano disse que se mantém "comprometido a trabalhar com o Governo de Moçambique para combater o terrorismo e o extremismo violento" e "assegurar a segurança e prosperidade para todos" os cidadãos e residentes do país lusófono.

O Ministério da Defesa de Moçambique confirmou na quinta-feira, numa declaração à imprensa, um ataque armado à vila de Palma, apontando que "as forças de defesa e segurança estão a perseguir o movimento do inimigo e trabalham incansavelmente para restabelecer a segurança e a ordem com a maior rapidez".

O coronel Omar Saranga, porta-voz do Ministério da Defesa moçambicano, admitiu que as comunicações com Palma estão interrompidas, não havendo, até ao momento, informação sobre vítimas e danos causados.

Na declaração de quinta-feira, Omar Saranga referiu que o ataque realizado por grupos armados começou às 16:15 (14:15 em Lisboa) de quarta-feira, hora em que "terroristas atacaram a vila de Palma em três direções: cruzamento de Pundanhar - Manguna, via de Nhica do Rovuma e o aeródromo".

O Ministério da Defesa apelou para a população "se manter vigilante e serena enquanto procura espaços seguros", pedindo colaboração com as autoridades, "denunciando os terroristas e homens armados para a sua neutralização".

Várias fontes disseram na quarta-feira à Lusa que a população de Palma estava a abandonar a vila e a refugiar-se na mata, cenário também confirmado pelo Ministério da Defesa.

Ainda segundo testemunhos, trabalhadores de diferentes nacionalidades ligados a obras na região de Palma, onde decorrem os projetos de gás do norte de Moçambique, fugiram juntamente com a população após o ataque de grupos armados à sede de distrito, segundo testemunhos.

A vila acolhe várias empresas e pessoal devido aos investimentos ali em curso.

O número de trabalhadores afetados e nacionalidades é incerto, mas algumas fontes relataram à Lusa a situação em Palma, que até aqui tinha sido poupada a três anos e meio de insurgência armada em Cabo Delgado, que está a provocar uma crise humanitária com quase 700 mil deslocados e mais de duas mil mortes.

Leia Também: Professores moçambicanos alertam para "perdas irreparáveis"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório