Meteorologia

  • 26 JANEIRO 2022
Tempo
14º
MIN 7º MÁX 15º

Edição

Após Áustria, mais sete países suspendem toma da vacina da AstraZeneca

Itália, Noruega e Dinamarca são os mais recentes países a suspender a administração da vacina da AstraZeneca, depois de na Áustria uma enfermeira ter morrido após ter sido inoculada. Há ainda vários relatos de problemas de coagulação diagnosticados em vários países europeus.

Após Áustria, mais sete países suspendem toma da vacina da AstraZeneca

Este fim de semana, a Áustria anunciou a suspensão da administração de um lote da vacina da Astrazeneca, por precaução, na sequência da morte de uma enfermeira e de outra pessoa que ficou doente, na mesma altura, após tomar uma vacina de um mesmo lote. 

A mulher, de 49 anos, morreu em resultado de problemas graves no âmbito da coagulação sanguínea; enquanto a outra utente, de 35 anos de idade, desenvolveu uma embolia pulmonar.

Depois disso, refere o Guardian, mais duas pessoas foram diagnosticadas na Áustria com embolia pulmonar após a administração da vacina, e há vários relatos de problemas de coagulação diagnosticados em vários países europeus.

Nessa sequência, além da Áustria, outros sete outros países, nomeadamente, Itália, Noruega, Dinamarca, Estónia, Lituânia, Luxemburgo e Letónia suspenderam a utilização da vacina da AstraZeneca para dar tempo ao Comité de Avaliação dos Riscos em Farmacovigilância (PRAC) da EMA para conduzir uma investigação.

Entretanto, o governo britânico já veio defender a eficácia e segurança da vacina da AstraZeneca.

Também a Agência Europeia do Medicamento reagiu, garantindo hoje à agência de notícias EFE que nos Países Baixos atualmente se está a estudar relatórios sobre problemas de coagulação diagnosticados em vários países europeus coincidentes com a receção de uma vacina AstraZeneca e que pode emitir conselhos "hoje ou sexta-feira" sobre o assunto na União Europeia (UE).

A EMA referira antes que uma avaliação preliminar mostrara que o lote de vacinas utilizadas na Áustria não era suscetível de ser culpado pela morte da enfermeira. Afirmara também não existirem, atualmente, provas de que a vacina tenha causado as condições apresentadas nas restantes doentes austríacas, dado que a trombose não está listada como um potencial efeito secundário da vacina.

A vacina em causa pertencia a um lote rotulado ABV5300, que incluía um milhão de doses e foi entregue em 17 países da UE.

[Última atualização às 14h40]

Leia Também: Áustria suspende administração de lote de vacina AstraZeneca após morte

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório