Meteorologia

  • 15 ABRIL 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 22º

Edição

Ministro russo questiona certificado de vacinação proposto pela UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, questionou hoje a possível criação de um certificado de vacinação proposto pelas autoridades da União Europeia, considerando que contradiz o caráter voluntário da vacinação contra a covid-19.

Ministro russo questiona certificado de vacinação proposto pela UE

"Há uma determinação nos países da União Europeia de que a vacinação seja voluntária. Mas se (chamado) passaporte da vacinação for implementado, isso vai contrariar o princípio da voluntariedade", afirmou, em conferência de imprensa.

O chefe da diplomacia russa expressou confiança de que esta decisão vai ser tomada "tendo em consideração a opinião dos países membros e não através de imposições".

"O fato voluntário da vacinação é muito importante. Veremos em que fica tudo isto", apontou, recordando que um documento desse tipo pode afetar a mobilidade dos europeus, algo de grande importância dentro da UE.

O ministro russo evitou prever como a criação deste documento afetaria os cidadãos russos e destacou que "é preciso esperar pelo desenlace definitivo do assunto".

"Informamos aos nossos colegas da União Europeia que esperamos que as decisões a ser tomadas não discriminem os cidadãos russos", acrescentou.

O vice-presidente da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, anunciou na segunda-feira que o documento vai ser apresentado em 17 de março e que vai incluir informações como se o cidadão já foi vacinado, os resultados dos diferentes testes ou se já foi considerado curado da covid-19.

Hoje, no dia seguinte ao anúncio, a Federação Nacional das Associações de Transportes de Espanha argumentou excluir os profissionais do setor do transporte rodoviário da obrigação de comprovar o certificado de vacinação para se deslocarem no continente.

Através de comunicado, a entidadegarante que, dado o baixo ritmo de vacinação dentro da UE e a não-inclusão dos motoristas no grupo prioritário para a vacinação, a sua "atividade essencial" poderia ser limitada.

Na Rússia, foi também debatida a possibilidade de implementar "passaportes covid-19", algo que foi recusado por personalidades e políticos, entre os quais se destaca a presidente do Senado russo, Valentina Matviyenko.

Leia Também: AO MINUTO: Decisão sobre vacina da Johnson & Johnson a 11 de março

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório