Meteorologia

  • 05 MARçO 2021
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Covid-19: Rússia planeia vacinar 20 milhões de pessoas até final de março

A Rússia planeia vacinar cerca de 20 milhões de pessoas contra a covid-19 durante o primeiro trimestre deste ano, adiantou hoje a vice-primeira-ministra russa, Tatiana Golikova.

Covid-19: Rússia planeia vacinar 20 milhões de pessoas até final de março
Notícias ao Minuto

12:23 - 23/01/21 por Lusa

Mundo Covid-19

"Estimamos que, se tudo correr bem, iremos envolver neste processo cerca de 20 milhões de cidadãos", acrescentou a governante.

Segundo Golikova, o Governo russo criou esta semana o plano preliminar de vacinação para o primeiro trimestre de 2021, "de acordo com o qual serão enviadas, para organizações médicas, cerca de 17 milhões de doses".

Até agora "foram fabricadas 7,6 milhões de doses, 2,1 milhões enviadas para regiões russas", salientou a vice-primeira-ministra.

Anteriormente, a presidente da Agência Russa para a Proteção do Consumidor (Rospotrebnadzor), Anna Popova, tinha dito que as autoridades de saúde russas seriam capazes de vacinar este ano "60% da população", o que considerou "um grande feito".

Popova advertiu que a campanha de imunização deve ser organizada para que a maior parte da população russa esteja protegida no início do outono, quando habitualmente aumenta o número de infeções de doenças virais.

As autoridades russas apostam na vacinação como principal resposta à pandemia, uma campanha que começou em Moscovo em 05 de dezembro, com a vacina russa Sputnik V, e em todo o país em 15 de dezembro, para a população mais vulnerável.

A Rússia tem em marcha uma campanha de vacinação maciça contra o novo coronavírus com o fármaco Sputnik V, produzido pelo Gamaleya Center. De acordo com as autoridades sanitárias, o número de pessoas vacinadas já ultrapassa um milhão e meio.

Entretanto, o número de infeções na Rússia, o quarto país do mundo, depois dos Estados Unidos, Índia e Brasil, entre os países com maior registo de contágios pelo SARS-CoV-2, continua a diminuir. Ontem foram detetados 20.921 novos casos, o número mais baixo desde novembro. Destes, 2.351 não têm sintomas da doença.

As cidades com o maior número de infeções são Moscovo, com 2.668 casos e até sexta-feira à noite o foco principal da covid-19 na Rússia, e São Petersburgo, com 3,056 infetados.

A pandemia de covid-19 provocou mais de dois milhões de mortos resultantes de mais de 97,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: AO MINUTO: Multas cobradas no momento; Hong Kong confina dois bairros

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório